quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Mensagem de Natal

Enquanto a solidão não perdurar mais que um segundo, enquanto a amizade persistir neste longo, por vezes duro, distante e difícil caminho da vida, em dias de sol, de frio ou de chuva, então será sempre Natal. TODOS OS DIAS.
A todos os meus queridos amigos da vida real e da blogosfera desejo um Feliz Natal.
Até breve.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Pedidos de Natal

Antes que o Pólo Norte me entre pela chaminé adentro em substituição do Pai Natal, é melhor começar a rever os pedidos para esta quadra, então temos: um par de peúgas cor-de-rosa, porque gosto da cor, uma dúzia de cuecas com o Bugs Bunny, porque é piroso e giro, algumas camisolas de interior com mensagens eróticas, porque o sexo faz bem à saúde, e uma garrafa de vinho para a última bebedeira do ano, pode ser que sim, ou pode ser que não. Tudo a pensar nos tempos de tanga que se avizinham, e já agora, quase que me ia esquecendo, Pai Natal, manda lá vir também um conjunto de fraldas descartáveis, porque com tantas emoções nunca se sabe o que pode acontecer.


Imagem: Internet









Só em jeito de rodapé, "Qualquer que seja o teu Deus, Bahaísmo; Budismo; Cristianismo, Hinduísmo, Islamismo; Judaísmo e Taoísmo (espero não me ter esquecido de nenhum), ele acha que andas a consumir demais... "

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Crenças

A idade vai passando por nós à medida que o tempo avança e o começo de um novo ano surge rapidamente no calendário. Quem procura a sorte toda a vida, pode ou não encontrá-la, mas mais importante que “ganhar o euromilhões”, é ter presente que a vida não carece de sorte, e sim de determinação, iniciativa, muita vontade e do Pai Natal, pelo menos uma vez por ano. Porque o acto de “acreditar”, é apenas o lápis que irá traçar de uma forma positiva o caminho a percorrer, entre o que começa agora e o que termina, sabe-se lá como e quando, e isso é tudo o que importa.  
Feliz Natal!

Imagem: Báu lá de casa, Kikinha e amiga rena

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

O tesouro de Natal

Não vamos falar de polémicas políticas sobre a pobreza de espírito dos intervenientes da imprensa desta semana.

Por vezes em alturas da vida fazemos uma investigação ao interior do coração e apercebemo-nos de momentos, de palavras, e até de pensamentos, que nos levam a questionar tudo e todos e que nos conduzem a uma realidade por vezes pouco feliz.
É quase Natal, mais importante que a religião, que as iguarias, que as prendas, ou que o brilho das luzes, mais importante é sentir, sem palavras mas com muita honestidade a magia da amizade verdadeira, de nós para os outros e dos outros para nós, aquela que é rara, mas que existe e que perdura antes e depois de qualquer Natal.


Foto: Báu lá de casa, prendas da Kikinha escondidas.

domingo, 19 de dezembro de 2010

Trabalhar ao Domingo

Hoje é Domingo, tempo de fazer uma surfada logo pela manhã, ou no meu caso um passeio de BTT, que hoje até me custou bastante confesso, apesar das aulas de hidroginástica, estou a ficar com o rabinho pesadote, assim me pareceu, apesar dos fãs não se queixarem.
No Domingo sobra também tempo para almoçar com a família de passar a tarde na esplanada com os amigos, um dia simples sem problemas de trânsito, correrias em busca da prenda ideal, a uma semana do Natal, pois não se iludam se for esse o programa que tencionam fazer, é isso que vão ter.
A vida é feita de pequenos momentos cabe a cada um aproveitar ao máximo, à sua maneira o que a vida lhe proporciona, e quanto a isso só tenho uma coisa a dizer. "Carpe Diem"

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Coisas de automóveis

Porque existe sempre uma menina para lá da mulher madura, sexy mesmo que o corpo não tenha as medidas certas; uma pessoa maravilhosa com atributos de amante, esposa, mãe, de líder incógnita das tarefas que não lhe são atribuídas e das que lhe são inatas e que todas executa na perfeição.

Porque sei que existe sempre uma tonalidade de batom capaz de encarnar os lábios antes de um sorriso, ou um gancho no fundo da mala, para salvar o dia dos cabelos despenteados e um perfume que tem a capacidade de tornar um ar poluído numa orgia de essências positivas.

Então porque não deixar desta vez os óculos da tristeza, da insegurança e de todos esses medos no porta-luvas do MERCEDES CLK e guiar o PORSCHE CAYEENE da energia como se houvesse amanhã mas que o amanhã fosse agora.

Bora Lá?!
Imagem: Internet, mas não me importava que esta imagem fosse do báu lá de casa da minha garagem.





quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

No país das Maravilhas

Ontem foi o primeiro debate televisivo com candidatos à presidência da república… não vou analisar os temas nem as ideias apresentadas, deixo isso para os especialistas na matéria, que seguramente não sou eu.
O discurso político é maioritariamente chato, repetitivo, cansativo, e por vezes pouco exequível, algo que nos faz muitas vezes optar por um fim-de-semana no Algarve em dia de eleições, e a democracia é isto mesmo, em parte trata-se da decisão de não participar, mas depois quando voltamos à realidade diária, criticamos destrutivamente, falamos mal, zangamo-nos..., esquecendo-nos que fomos nós que decidimos não dizer o que queremos e que direcção tomar… e isto é apenas um reflexo das atitudes diárias de uma pessoa comum, que nada tem a ver com política, tem sim a ver com a capacidade de pensar que se as coisas não estão bem, no trabalho, na sociedade, na nossa vida, há, com certeza, alguma coisa que podemos fazer para melhorar, a questão que se coloca é: Será que somos capazes de pensar? Ou vamos passar o resto da vida a deixar que os outros o façam por nós?

Podes dizer-me, por favor, que caminho devo seguir para sair daqui? Isso depende muito de para onde queres ir - respondeu o gato
Lewis Carrol, Alice no País das Maravilhas

Imagem: Internet

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

A declaração

Muitas vezes, em determinados períodos da nossa vida, dizemos coisas que soam a fundamentalismos, pela qual a nossa vida e as nossas convicções se afirmam como se fossem verdades absolutas, como se aquilo em que acreditamos no momento, se tornasse no resto da nossa vida, sabendo à partida que de um momento para o outro tudo muda, ou não fosse a mudança um processo de evolução e de aprendizagem.
Parece confuso eu sei. Mas isto serve apenas para contradizer aquela teoria de que os políticos são mentirosos, que são manipuladores, que contornam as questões aos seus interesses de propaganda, entre outras qualidades inequívocas que a profissão lhes exige.



Foto: Enviada por mail pela Mafalda, DN 16 Set. 2000


segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Aula de hidroginástica

As actividades físicas praticadas em piscinas exigem algumas regras, tais como o uso de fato de banho, chinelos e touca. Acho muito bem porque ver os cabelos a flutuar dentro de água não é nada agradável, mas eu ainda iria mais longe... acho que a depilação masculina e feminina deveria ser obrigatória, nada é mais inestético e pouco higiénico de que aqueles tufos a boiarem debaixo dos braços, nos peitos, nas virilhas e noutros lugares que não lembra ao menino Jesus, é uma visão tão aterradora como as incontinências dentro de água, para este problema, o melhor seria colocarem debaixo de água um aparelho de sinalização que apitasse toda a vez que alguém fizesse chi chi fora do lugar, para a malta evacuar a piscina e os técnicos procederem à remoção do líquido e limpeza da piscina.
O que salva a situação, para além dos benefícios físicos evidentes desta prática desportiva, é o belo e talentoso professor que puxa por todos os meus poros e sentidos, lavando-me a alma logo pela manhã.

Imagem: Internet

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Dia de festarola

Agora que mais uma semana passou, árdua e complicada, é tempo de lembrar que amanhã será dia de festarola.

Nada é mais agradável que um almoço de comadres, seguida de uma tarde de má língua no clube do tricô encomendado; e para terminar em êxtase, uma noite na companhia de amigos do peito, do rabo, e outras partes mais ou menos eróticas, fumando e bebendo substâncias mais ou menos bestiais.
Bom fim-de-semana.

Imagem: Internet

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

A vontade

Nesta altura do ano quando a palavra quase se aproxima a passos largos de qualquer coisa, não posso deixar de sentir uma certa nostalgia e saudade, principalmente da minha avó materna que me fazia o "café das borras" numa cafeteira mascarrada ao lume em cima de um tripé, ao mesmo tempo que amassava a massa com os cotovelos das filhoses para a noite da consoada e me contava histórias de antigamente. Tenho saudades da sua pronúncia beirã e da sua habilidade para dizer uma centena de "caralhadas" numa frase com poucas falas sem parecer mal. 
Memórias eternas, entre outras coisas que guardo comigo para sempre.
Olho em frente com a vontade de uma optimista e faço uma pequena reflexão por aqueles que correm sem saber para onde vão: Não se iludam meus queridos amigos leitores, a essência do amor não está nessa caixinha muito bonita cheia de laços e brihantes que provavelmente irão receber no Natal... está sim na vontade de abrir o coração.

Foto do Baú lá de casa, distorcida, para preservar a identidade da avó Helena.



terça-feira, 7 de dezembro de 2010

A ajudante

Já é Natal lá em casa.


Foto: Báu lá de casa: Kikinha a colocar a bola na árvore.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Mais ou menos Natal

Gosto do Natal...
...do esforço pelos encontros e reencontros, mais ou menos casuais, de quem mais ou menos gostamos; da vontade de consumir desenfreadamente, mesmo que isso signifique atropelamentos pedonais em centros comerciais, feiras, lojas tradicionais e afins; de luzes reluzentes, mais ou menos brilhantes, de carros furiosos em parques de estacionamento; da luta desigual de quem tem dinheiro e não gasta e de quem não tem e usa os cartões de crédito fingindo que tem. Adoro as reportagens televisivas mais ou menos repetitivas ano após ano; da "Popota", da "Leopoldina", dos descontos ficticiamente fantásticos; das campanhas leve agora e pague depois quando estiver fisicamente falido, apesar de tecnicamente já o estar; das reuniões familiares, que nos juntam aqueles parentes de quem não temos qualquer afinidade, para além de um nome; das trocas de prendas mais ou menos úteis, que vão enchendo as prateleiras lá de casa e pelas quais imploramos um terramoto a cada momento; finalmente, amo a comida maravilhosa que nos faz fazer promessas de emagrecimento, mais ou menos atingíveis para o próximo ano.

Imagem: Internet

 

terça-feira, 30 de novembro de 2010

O apelo

Enquanto esta onda de solidariedade invade o país, enquanto se multiplicam os peditórios para tudo quanto é associação e se triplicam os anúncios que apelam desesperadamente ao consumo das carteiras, mais ou menos vazias, de seres mais ou menos inteligentes. Muitos são aqueles que, nesta época festiva, não hesitam em trocar o seu animal de estimação por um brinquedo inanimado.
Não deixe o seu amigo tornar-se num sem-abrigo.


Foto: Do báu lá de casa.
"Canina" adoptada com sucesso.


segunda-feira, 29 de novembro de 2010

A época...

O que a época Natalícia tem de bom são os encontros de amigos em jantares e almoços caseiros de dias longos e de Invernos quentes, (mesmo em dias como o de hoje, em que o boletim meteorológico e os nossos ossos nos dizem o contrário)... E a certeza absoluta de uma distância que fica apenas na vontade de juntar os trapinhos, com um simples abrir de janela.

Imagem: Kikinha e Pipinha

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Reunião de sexta-feira

Sexta-feira (preciso de perder a mania de estar sempre a lembrar que dia é hoje), antes da reunião pouco produtiva do final de semana, em que as cabeças pensantes se encontram dispersas entre noites de acompanhantes de luxo para seniores, capazes de fazer levantar o pau mais jovem, e antes que os chefes se rebolem nas cadeiras com as suas barrigas eloquentes capazes de convencer um talhante a matar um porco em noite de vacas magras, só com um gole de Vodka Aspegic, fala-se de austeridade. Desse espaço livre de experimentação, de múltiplas volúpias potenciadas por grandes lugares, em que não cabem aumentos, subsídios, ou outras regalias da mesma família. As horas passam sem grande avanço intelectual, mas com muitos olhares cruzados e pernas mortas penetrando no campo do inimigo.
Finalmente eis que alguém se lembra de contar uma piada sem piada, e o ambiente aquece logo de seguida com duas ou três gargalhadas cínicas de quem gosta de lamber o outro até se abrirem fendas eróticas num corpo que não lhes pertence.
Dois murros na mesa, lembram a todos quem é que ainda manda ali e antes que o cigarro aceso salte para a mão como sinal de respeito pelos não fumadores, há alguém que tem uma brilhante ideia:
- Faz-se um mapa em excel com várias linhas e colunas.

Antes do orgasmo final o grupo desmobiliza-se.


Imagem: Internet



quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Sugestão de fim-de-semana à quinta-feira

Nada melhor do que começar o fim-de-semana à quinta-feira, depois de uma greve geral pelo meio, depois das notícias tristes e macambúzias, que embora retratem o panorama económico-familiar (porque esse é que interessa), deste país, não deixam ao mesmo tempo de ser o reflexo de uma mentalidade que tem mesmo que mudar de vida. Caso ainda não tenham reparado "O Universo" não está contra nós, o que está a acontecer não é fruto de má sorte, o que temos é que encarar tudo como etapas e obstáculos que na realidade são estímulos positivos, e que nos devem fazer lutar pelo desenvolvimento do país, lutar pela nossa vida...Enfim mas "economitiquices" ficam para os especialistas no assunto que não sou eu.

Contrariando a tendência negativa, aqui fica uma como sugestão para o próximo fim-de-semana, uma visita ao festival de Arroz Doce e Doçaria Regional de Torres Novas, que vai decorrer no pavilhão de exposições da Nersan, e que conta para além de feiras do livro, com ranchos folclóricos, grupos corais e com o habitual concurso do melhor Arroz Doce do Festival.
Sinceramente nunca fui ao festival, mas tenho amigos que já lá foram e outros que lá trabalham e que dizem bem, por isso o divulgo aqui.
Se conseguir ir lá desta vez prometo na segunda-feira dar a minha opinião sobre o assunto.
Boa quinta.



quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Sem greve

Para iniciar o Blogue de hoje às 17h00 da tarde, foi preciso furar a greve da lentidão informática e dedilhar sem parar antes que fosse tudo abaixo novamente.
Num dia como este exige-se alguns momentos de reflexão.
Onde estava eu na primeira Greve Geral? ou que idade é que tinha? 
Sei que queriam saber mas eu faço greve a essa questão, não só porque não me recordo mas porque não é relevante para o caso, afinal eu não sou nem pretendo ser o centro do mundo.
Mais importante que tudo, das dificuldades; desta luta como a de hoje; das politiquices; da corrupção; do saco azul, cor-de-rosa, ou até do saco vazio, como o da maior parte das pessoas; dos assuntos que interessam; daqueles que não prestam mas que adoramos comentar, e outras tantas questões que davam páginas e páginas de letras. Mais importante que tudo isso, é não deixar morrer a vontade, não deixar acabar o amor na despensa, não esquecer de quem somos em detrimento de quem queremos ser, e principalmente não fazer greve à amizade, mesmo que por vezes a distância física seja mais forte, não esquecendo que no coração existe apenas um caminho.


Imagem: Internet

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Terapia do Natal

Quando olhamos para o Natal vemos que existe quase sempre um ser feminino por detrás das suas barbas, renas e afins.  
80% da população que tem a àrdua tarefa das compras de Natal, são mulheres. Seres altamente organizados, que minuciosamente planeiam tudo até ao último detalhe: a decoração, as prendas, a ementa de Natal, a operação limpeza depois do Natal. Tarefas que por vezes deveriam ser divertidas e até partilhadas (daí o espírito de Natal), mas que se tornam actos stressantes, obsessivo compulsivos levando-as a procurar um terapeuta que as ajude a ultrapassar os problemas que "acham que têm" na a sua relação com o Natal, sendo que normalmente as suas expectativas é o oposto do que necessitam efectivamente para que esta relação ganhe frutos.

Então o que fazer?
Comecem por fazer um lista de nomes a quem dar prendas, incluindo as que vão mesmo dar, as que vão ser retiradas da lista, e as que eventualmente podem vir a entrar nela... aproveitem as prendas que receberam o ano passado e que várias vezes estiveram para ir para a reciclagem e ofereçam-nas a uma dessas pessoas (atenção para não darem a quem vos deu); façam as vossas compras ao longo do ano, especialmente em altura de saldos, poupam tempo e dinheiro; envolvam as pessoas da vossa casa nas decorações da casa, mesmo que seja preciso elogiar o mau gosto delas. Durante os meses de Novembro e de Dezembro sejam uma desgraça na cozinha, só assim se poderá garantir a compra da ementa de Natal no restaurante do bairro e evitar as horas desgastantes na cozinha. Finalmente quando for altura das limpezas de Natal, finjam que vos deu uma dor qualquer, assim não muito grave, mas o suficiente para que tenham que ficar a relaxar no sofá.
Só espero que as pessoas da minha vida não leiam este post… ou estou feita para o resto do ano.

Imagem: Internet

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Dicas de Natal. Já!!!!

Ainda falta mais de um mês para o Natal... mas como todos sabem (e pelo menos nas empresas, que começam a delinear estratégias comerciais, logo a seguir ao regresso às aulas), o Natal tem tendência a começar cada vez mais cedo. A ideia é desde logo incutir o espírito do consumismo na mente do consumidor.
Não tenho ideia de ter comprado nos últimos anos papel de embrulho para as prendas de Natal, esta foi uma das coisas que aboli da minha vida de consumidora.
O que faço?
Normalmente tento abrir as prendas que me oferecem com cuidado de modo a reciclar o papel e os laços dessa prenda para outra prenda, também reciclo trapos velhos que com um pouco de cola e imaginação fazem as delícias de qualquer prenda, que fazem fila à porta da minha casa só para terem a oportunidade de caber dentro desse embrulho. Para finalizar, se repararem quase todos os hipermercados disponibilizam papel gratuito e laços para as prendas de Natal, todos sabemos que não é um papel fantástico, mas o que conta não é o embrulho, e sim a intenção inerente à quadra Natalícia.
Por isso usem a imaginação dediquem um pouco de tempo e carinho a personalizarem os presentes e não gastem dinheiro nem comprem coisas só por comprar. Afinal o Natal não é nada disso.


Imagem: Do Blogue Pura Inspiração que ensina a fazer embrulhos com papel reciclado.
 http://fotomagia-purainspiracao.blogspot.com/2010/11/sacolas-de-presentes-recicladas.html


quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Vende-se... passadeira vermelha

Vende-se a passadeira vermelha que o Papa Bento XVI pisou, em Vila Nova de Gaia aquando da sua vinda a Portugal no mês de Maio, custa apenas (no site Custojusto) 5 mil euros.
O proprietário já veio dizer que não a colocou à venda pelo dinheiro e sim mais por brincadeira, dizendo ainda que se não a vender a vai doar a uma instituição de caridade...
Digamos que também será difícil arranjar uma utilidade prática para uma passadeira com 20 metros.
Não creio que as casinhas da maioria dos portugueses tenham tamanha dimensão... enfim é esperar para ver.
Imagem: Custo Justo

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Mude a sua vida, vá de comboio... mesmo que ele não passe no seu caminho

Mudar de vida é sempre algo que está ao alcance da nossa vontade. Claro que falar é fácil, já agir é outro departamento.
Atenta aos temas que a vida nos coloca na mesa, dei por mim com os olhos postos num Outdoor perto de Alcobaça, com a nova campanha da CP, onde a linha do Oeste é das piores linhas em termos de periodicidades e onde a expressão ver os comboios a passar é capaz de adormecer qualquer um.
Eu acho esta campanha bastante útil e institucional. É muito importante passar mensagens que incitem as pessoas a irem de comboio, porque este é sem dúvida um meio de transporte muito prático e eficiente. Eu mesma durante alguns anos na minha vida, o utilizei para me deslocar, mas desde que me mudei para a província (leia-se como província a linha do Oeste), nunca mais o utilizei porque realmente perdia imenso tempo e qualidade de vida.
Creio que se esta linha tivesse a periodicidade que se desejaria pelo menos até Lisboa, as condições de vida das pessoas que em redor deste trajecto residem ou trabalham, iria sem dúvida melhorar, mas já que as terrinhas são fácilmente esquecidas, aconselharia os Gestores da CP a não gastarem dinheiro na colocação de publicidade, onde ela não tem qualquer efeito prático, a não ser que  tenham intensão de mandar os comboios para aqui. Uh! Será?? 


sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Esquecimento

Por vezes vejo pessoas esquecidas na paragem do autocarro à espera de alguém com quem conversar
O esquecimento faz-nos meditar, faz-nos acordar de noite sentindo que perdemos algo, que nos falta um pedaço na fatia do bolo.
Seja por vontade própria ou por distracção cerebral (e excluíndo as doenças associadas à perda de memória); esquecemo-nos de tanta coisa boa na nossa vida, de tantas pessoas que nos querem e nos fazem bem, que por vezes se confunde, este estado, com ingratidão ou egoísmo.
A vida é feita de momentos e esquecer por esquecer não é problemático, desde que  o esquecimento não se torne a nossa vida e o lembrar apenas esse breve momento. 
 
 
 
 
 

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

O amor é...

Uma imagem vale mais que mil palavras de amor.
Ao longo da minha vida, já tinha sentido por diversas vezes o entusiasmo deste nobre sentimento ... snifado através dos poros da minha pele morena e sedosa as dedadas do carinho e da dedicação... mas nunca tinha sido presenteada desta maneira.

Foto do Baú lá de casa:
 Presente da Pipinha pelo carinho e dedicação da sua dona.
NÃO É UMA RATAZANA, são ratos do campo, o pai e os seus filhotes.
Claro que nesse dia o almoço e o jantar ficaram garantidos...  

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Endomarketing

Mais um dia de vento e de chuva, mas nada se compara aos desafios diários (laboralmente falando). Enfrentar o mar com ondas de 8 metros não é para todos, isso, e procurar durante meia-hora um lugar para estacionar o carro, já completamente ocupado pelas gaivotas matreiras que voaram depressa ao mercado em busca do peixe fresco que veio de madrugada deitado nas pranchas de surf... e enquanto ainda resta uma nesga de espaço para a imaginação e para a elasticidade do pensamento, entre reuniões pouco produtivas, mas muito úteis em termos de ocupação de espaço laboral... talvez ainda haja tempo para absorver a frase introdutória do manual de utilização de regras de contornos de rotundas, muito útil para quem quer avançar na carreira sem esbarrar com aqueles colegas que nos provocam urticária intelectual... Enfim, falar mal não é uma lei... tudo depende da estratégia que se quer utilizar sem esquecer que o que passa para fora da empresa, em primeiro lugar o reflexo do que se passa lá dentro. Daí a importância dos Recursos Humanos e a aposta na sua formação:

Glossário
Endomarketing (Endo - para dentro) Marketing para dentro ou também intitulado Marketing Interno.
Digam lá se o "Post" de hoje não foi produtivo?
 
Imagem: Interne





segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Perder a paciência

Entre uma refeição e outra, existe sempre quem procure alguém com a mesma constituição física para trocar experiências tectónicas... e se não fosse um absurdo talvez ainda estivesse a fazer alguma coisa com pouco peso e muita medida, à hora de expediente, mas prefiro deixar esse "peru menor", para quem tem realmente altura para…, isto é, mais de um metro e meio e uns pezinhos.

Umas das imagens de marca da Inglaterra são os famosos guardas britânicos, de chapéu alto e peludo que parecem estátuas às entradas dos palácios, e que olham pacientemente para os turistas que os admiram e que os atormentam com as fotos da praxe.
No entanto, ao que parece no passado fim-de-semana, um desses guardas, quebrou essa postura irrepreensível gritando com um grupo de turistas alemães.
Segundo o jornal «Evening Standard», tudo aconteceu no Palácio de St. James durante mais uma daquelas invasões turísticas: «Afastem-se do guarda da rainha», gritou de metralhadora na mão, quando dois rapazes faziam aquela habitual pose a seu lado para mais uma fotografia chata.

Enfim… o que dizer, o pobre homem perdeu a paciência, foi isso ou então sonhou com o filme das contas públicas, parte 3.1, versão totalmente produzida e realizada em Portugal.
QUE MEDO!

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

O embalo

Já passou.
Tantos planos de manhãs submersas pela água do mar, e eis que veio a chuva. Tanta vontade de sair e correr com as pernas no ar, num lugar onde os pássaros se aventuram, e eis que veio o vento.
O pior do piropo já passou, a partir daqui é sempre a somar: as contas da casa versus orçamento do Estado que vai e vem de um lado para o outro, como se o Estado estivesse a embalar o berço dos seus enteados...e sem esquecer que os enteados somos todos nós.
Próxima crise? 36 anos.

Imagem: Internet

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Mau génio

É inevitável!
Está quase a chegar aquele dia que me deixa de cabelos em pé.
Diz alguém que me conhece, que 15 dias antes já fico insuportável. Logo eu!? Nobre criatura, doce e terna, que não faz mal a uma mosca, apenas chamo a minha "Kikinha" para tratar do assunto, fiel companheira e caçadora de insectos, répteis e aracnídeos... E tudo se resolve.

Foto: Báu lá de casa. Espécie aniquilada pela Kikinha e pela sua dona (a dona com os olhos fechados claro!)
 SIM É UMA COBRA QUE ENTROU PARA A GARAGEM

sábado, 23 de outubro de 2010

O Canto

O sol veio para ficar e para iluminar o nosso sorriso. Fruto de mais uma etapa ultrapassada.
Um novo rosto, um novo sorriso. Tudo é novo e revigorante, como se tivesse nascido de novo.
Estou novamente apaixonado. Perdidamente achado em rasgos de ternura de um dia, de uma noite, de todo o tempo que temos e que NÃO DESPERDIÇAMOS.
Silêncio! Nem mais uma palavra.
Vamos simplesmente abrir a janela e deixar os canários fazerem o seu trabalho.
Cantar.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Be strong

Às vezes a noite, traz-nos descobertas inigualáveis. Não sei se é pelas sombras, pelo cheiro, pela luz, ou até pelo frio que percorre cada centímetro do meu corpo, mas tudo me arrepia.

Ontem, foi a derradeira prova. Nunca um caminho me pareceu tão longo, tão só, tão triste, mas ao mesmo tempo tão esperançoso.
São as dificuldades da vida que nos toldam a alma e nos tornam mais fortes.
Agora?! Só quero que o dia passe depressa, para te abraçar e poder respirar de alívio com a notícia de  que estás bem.
Só quero poder voltar contigo para casa.










Imagem: Internet

terça-feira, 12 de outubro de 2010

As 3 tartarugas Panqueca

Porque estou farta de politiquices, porque estou farta de ouvir falar de crise e de aumentos... deixo aqui hoje uma reportagem da ABC sobre 3 tartarugas, a «Butterworth», a «Maple» e a «Flapjack», que além de pertencerem à espécie de tartarugas mais rápidas do mundo, ainda se conseguem por de pé sozinhas, se ficarem deitadas de costas.
As "panqueca", nasceram no zoo de Bronx, em Nova Iorque e foram depois transferidas para Oakland, sem problemas.
 Dizem os entendidos que têm uma resistência fÍsica acima da média e que são capazes de subir superfícies com mais de 30 degraus. O que mais gostam de comer é salada fresca todos os dias.
Agora digam lá se os animais não são maravilhosos e fantásticos!

Vejam as Tartarugas Panqueca, logo a seguir à publicidade.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Pobreza de audiências

Na semana da luta contra a pobreza e a exclusão social, a Rede Europeia Anti-Pobreza portuguesa irá promover várias iniciativas para alertar a luta contra a pobreza. Iniciativas que procuram sensibilizar os governantes, os políticos e a população em geral, tendo como objectivo a erradicação da pobreza. Iniciativas que se inserem no Ano Europeu com o mesmo tema.

Na mesma semana em que se comemora o aniversário da SIC (antagonismos de pobreza contra a riqueza, não a de conteúdo. Apenas uma trágica intelectualidade de batalhas de audiências.) E eu que não gosto de datas instituídas, pergunto, antes que acabe o ano e que se esqueça este tema tão trágico e real.
Será que basta apenas um dia, uma semana, ou um ano, para lembrar os tempos difíceis? Não deveríamos todos ter esta ideia sempre presente, para sempre, até que deixasse de existir este flagelo?
O reconhecimento do problema é o primeiro passo para a sua resolução.
Tantos estudos, tantas teses, tantos debates e ainda não se chegou a uma conclusão real porque umas pessoas têm tanto, enquanto outras, nada têm. Mas prefiro não entrar por esse campo, escolho apenas lembrar que pior que a pobreza física, é a pobreza de ficar sentado à frente da televisão, vendo programas de conteúdo mesquinho, que ensinam a mentir e a enganar o próximo, que trazem ao de cima o que de pior tem a condição humana, que viciam e que entretêm milhares de pessoas, que querem a todo o segundo saber o que acontece na vida do outro. E que estes programas ainda sejam motivo de abertura de noticiários.
Existe tanta coisa positiva que se pode fazer para melhorar o mundo e tanta coisa para informar e relatar, não temos que ver tudo o que nos dão. Porque a verdadeira pobreza está no espírito de cada um, seja pobre ou rico, letrado ou iletrado. E este combate só pode ser travado na capacidade que se tem de, como em tantas outras coisas, agarrar no comando e mudar de canal, ou de desligar a televisão.

Imagem: Internet

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Partilhas

Por vezes cresce dentro de nós um sentimento de horror natural.
Não é pela fome, pelo frio, pela sede, ou pelas palavras entoadas de cima para baixo directamente ao coração e que magoam tanto por já cá não estares.
Não.
É apenas pela verdade e pela honestidade, pela certeza de quem se foi e já não volta, de quem não queria esta batalha por um pedaço de terra. A mesma terra que um dia lhes irá servir como morada, onde os bichos mais feios e mais tenebrosos lhes hão-de comer a carne que agora emana, suor, ódio, avareza e inveja, corpos perdidos por uma lasca de dinheiro.
Será assim tão fácil esquecer? O amor partilhado, os abraços de carinho, a paixão e compaixão pela vida? Assim parece.
Um dia… tudo isto será apenas mais um canto perdido algures num mundo demasiado grande, mas ao mesmo tempo pequeno para o desperdício de energia de uma vida única.
Um dia.. essa descoberta poderá ser talvez, um pouco como o resto das suas vida. Sem hora marcada mas tarde demais.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

C'est La vie.

Chegaram os dias sem sol.
Nesse momento mágico em que as nuvens tomam conta do céu e o lusco fusco, fica preso à luz da lua, iluminando de cinza dourada a luz do teu rosto, que desta perspectiva parece ainda muito mais bonito, abraço-te com ternura.
E é mais ou menos por estes dias, que a alma fica inundada de memórias que lembram  as nossas reuniões de fim-de-semana , na degustação das castanhas e das bebedeiras de jeropiga.
Uma realidade que se repete estação após estação, ano após ano... porque a vida não é só crises e maus momentos. 
Na realidade a vida é... puro prazer. 


quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Os melhores amigos

Nada melhor do que começar uma semana atribulada, à quarta-feira, na blogosfera com um vídeo bem original e engraçado:  "White Knuckes" da banda "OK",  (uma banda norte-americana de rock alternativo) a dançar com cães, muito giro e bem feito.
Apesar da sempre originalidade dos seus vídeos, a banda queria fazer algo diferente e após 3 anos de treino o resultado foi este. Um verdadeiro sucesso, em apenas 3 dias, o "White Knuckes" já foi visto na internet,  por mais de 3 milhões de pessoas.

Ao jornal «New York Post», o treinador dos animais, Lauren Henry, explicou o objectivo das imagens: «Queríamos manter comportamentos básicos. Imagine que está com o seu cão a dançar na sala, o que têm disponível? Mesas, cadeiras e estantes. Foi este conceito que quisémos criar».




Fonte da Noticia "New York Post"
Vídeo: Youtube

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

A gama da crise

Águas de Portugal não considera que os seus carros personalizados sejam topo de gama e diz que as finanças da empresa estão bem . Fonte da Noticía "Correio da Manhã"

Expliquem-me lá uma coisa, como é que uma empresa (pública), as Águas de Portugal, pode oferecer 400 viaturas personalizadas, aos gestores e quadros intermédios, alegando que ao contrário do país não está em crise.
Não era suposto uma empresa pública que se encontra bem de saúde, ajudar aquelas que estão menos bem? Não estamos todos a contribuír para o mesmo...
No dia em que a Empresa Águas de Portugal, estiver com dificuldades económicas, certamente que não hesitará em pedir ao Estado ajuda financeira, que é normalmente o que todas fazem.

Não tem nada a ver com veículos de topo de gama, mas pelo menos é ecológica...
Publicidade: Scooty
Trotinete Eléctrica

Motor: 500W - Diâmetro da roda: 12" (300mm)
Travões de Disco dianteiro e traseiro
Baterias: 12AH, 12Vx3
Cores Disponíveis: cyan e laranja




quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Indifference

Antes que o sol se ponha... Se pensas que vais ficar indiferente à escuridão!
Não podes fingir ser algo que não és e fugir de tudo o que tens medo de enfrentar. 
Não podes querer semear inveja e colher felicidade.
A vida, é um agarrar de oportunidades. Tudo o que tens que fazer é apanhar esse "animal perdido" à beira da estrada e dar-lhe todo conforto e  ternura de um ser humano. Porque amar faz toda a diferença.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Caos

Cada pessoa é uma pessoa, e a vida é só uma etapa de aprendizagem constante e nem sempre consistente. Por vezes cometemos erros de julgamentos, onde semeamos ódio, ou empatia com os outros, por causa de uma frase mal pensada ou de uma palavra que escapara por entre os dentes, pela falta de controle das emoções.Mas isso não é desculpa, é aprendizagem.
A busca da perfeição por vezes é um retrocesso, é preciso soltar a desorganização e seguir em frente, porque no caos se aprende a improvisar, e é nas situações de crise que se vê quem é um líder ou um "rato".


Os nossos serviços públicos tendem a evoluir, é a causa natural das coisas, e cada vez mais vemos a utilização dos meios ao dispor da sociedade, o que é bastante positivo, mas uma máquina não é uma pessoa, e uma pessoa não é um papel.
Bem sei, que o "Zé Portuga", tem no sangue o dom de deixar tudo para o "last minute" como se fosse fazer uma viagem e estivesse à espera da última promoção, mas isso não serve de justificação para a incompetência.
Isto para explicar que nos últimos dias, os portugueses têm entupido os serviços da Segurança Social, para fazerem a prova de rendimentos que lhes permitirá continuar a receber os apoios sociais do estado, sendo que o prazo para o fazerem termina em Outubro.
A Burocracia do papel, a falta de formação de quem atende, e um serviço online pouco simplex, levam-me a crer que o que o Estado parece pretender, levar à desistência por parte da população, destes apoios, e dessa forma poder encaixar dinheiro e diminuir a divida pública.
Pode até nem ser, mas é a ideia que transparece. Já era altura de dar um passo em frente e de assumir a liderança.

Imagem: Internet



segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Papel Higiénico

Primeiro vieram as folhas das plantas: Folhas de couve, alface, eucalipto, etc..., Houve em tempos até quem utilizasse pedras redondas para o efeito, ou quem nada usasse. Depois começaram a aparecer as folhas dos jornais... que depressa evoluíram para os guardanapos e destes para o papel de folha dupla, tripla. Perfumado; Com textura suave e macia, de várias cores e tamanhos. Finalmente achou-se que estava na altura de se utilizar papel reciclável, mas agora surgiu uma notícia que diz que o papel higiénico reciclado tem bactérias nocivas para a saúde e que não deve ser utilizado para esse fim.


Sei que parece estúpido perder tempo a escrever algo sobre o papel higiénico, mas a verdade é que este é um dos papéis, que mais importância tem na nossa vida, mas que por ser tão comum e tão banal, facilmente passa despercebido... faz parte das necessidades básicas do ser humano, da sua higiene. E se há lugares do mundo onde este é um bem escasso e de grande valor, ainda assim, existem cidadãos altamente qualificados e integrados na sociedade de países desenvolvidos que não sabem dar-lhe o uso adequado, ou qualquer uso mesmo.


Imagem: Internet

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Todos os dias

Todos os dias vês o mar a mudar de tonalidades, e não ligas.
Todos os dias te consolas nas palavras de um amigo, e não lhe dás a importância devida.
Balanças-te na corda do saber procurando subir cada vez mais alto e não lhe encontras relevância.
Contas aos miúdos histórias que ensinam a sonhar e não sorris tanto quanto podias.
Um dia....vais aprender da forma mais dura que só damos importância ao que temos, quando já não o temos.
Não faças isso -  Enjoy the moment.










Imagem: Internet

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

A busca interior.

Enquanto procuro inspiração para os dias de transpiração que se avizinham.



 Buena Vista Social Club - Veinte años
¿Qué te importa que te ame,
si tú no me quieres ya?
El amor que ya ha pasado
no se debe recordar

 Fui la ilusión de tu vida
un día lejano ya,
Hoy represento el pasado,
no me puedo conformar.

Si las cosas que uno quiere
se pudieran alcanzar,
tú me quisieras lo mismo
que veinte años atrás.

Con qué tristeza miramos
un amor que se nos va
Es un pedazo del alma
que se arranca sin piedad

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Figuras estilosas

A linguagem é o modo como operacionalizamos a nossa língua. É através dela que conseguimos perceber o sistema de vida de alguém. Uma força, da qual se obtém ganhos, vantagens políticas, económicas e sociais.

Não sei muito bem se o Carlos Queiroz, independentemente da sua prestação profissional e cláusulas contratuais, foi vítima de uma metáfora, ou de uma metonímia. O certo é que, cada vez mais, o que se opina por aí, muitas vezes não passa de uma hipérbole, em que cada um pensa, mas mais grave ainda, diz o que quer à sua maneira, sendo que a realidade é um show dos acontecimentos com impacto na personalização e na espectacularidade da nossa vida onde falamos todos do mesmo, mesmo nada.


Glossário:
Metáfora: figura de estilo que consiste em usar um termo ou uma ideia com o sentido do outro com o qual se mantém um relação de semelhança.
Metonímia: figura de estilo que consiste no emprego de uma palavra em vez de outra devido a uma relação de continuidade existente entre elas.
Hipérbole: figura de estilo que consiste no emprego de termos exagerados, ampliando a verdadeira dimensão das coisas

Imagem: Internet

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Pois é, se não sabe o que fazer ao velho sutiã lá de casa...

Ao que parece agora é possível  usar esta peça de roupa, numa plantação de melões, impedindo assim que os frutos fiquem caídos.
De acordo com  o "Daily Telegraph", Rowie Meers a britânica inventora desta forma caricata de cultivar melões, tem contado com a ajuda de inúmeras mulheres que sensibilizadas para o problema, lhe têm mandado os seus "velhos amigos", companheiros de longa data, afinal tudo em nome da reciclagem e da qualidade fruta.

Fonte da noticía: Daily Telegraph














quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Serviço Público à hora de ponta

Hoje acordei assim, estou naqueles dias do mês, não nesses que estão a pensar, mas nos outros em que a língua afiada solta cá para fora toda a maturidade de um dia mal passado.


Passada a fase inicial do Magalhães parte II, tudo se começa a compor, o guichet fecha às 16h00, fazer uma chamada esclarecedora sem passar de um departamento para o outro, é impensável, sem contar com a música das “quatro Estações” de Vivaldi, ou de uma qualquer rádio da moda.
20 Minutos e 3 segundos depois, somos atendidos, mas parece que mais uma vez atracámos no local errado. O serviço que pretendemos fica 5 degraus acima da paciência, mas não vale a pena ir lá agora, que é hora de almoço… ainda assim e do outro lado da secretária, talvez haja tempo para pintar as unhas, ou para telefonar à Maria a perguntar qual a sua receita de emagrecimento precoce das banhas acrobáticas.
O que vale é que à tarde humanamente tudo funciona melhor, a comida tem um efeito neurocirúrgico; já mecanicamente, os computadores parecem todos querer bloquear à hora do expediente.
E a porra da mulher com a senha azul que não desiste, está mesmo decidida a dar trabalho à funcionária dos serviços de reclamações. Que canseira!
Olha de soslaio para o mapa atrás das costas, inconscientemente o ciclo vai-se fechando, faltam precisamente 366 dias e mais algumas horas para a reforma; já estaria no descanso, não fosse o Estado e as suas novas regras. E enquanto isso somos todos vítimas do atraso dos serviços dos quais a nossa vida depende.

A falta de profissionalismo, é uma doença instalada, e não existe milagre tecnológico que a cure, apenas a vontade de cada um de dar o seu melhor.


Imagem: Internet

terça-feira, 7 de setembro de 2010

O consumismo da educação

Setembro chegou, e para além das características temporais que personificam este mês e dos aniversários que preenchem a minha agenda, este é o mês que todos os pais temem.
Depois de terem gasto o subsídio nas férias, é agora tempo de virar a página do calendário, fazer contas à vida e colocar os filhos na escola.

Tudo conta no orçamento familiar, são as matrículas, as mochilas, os livros, o material escolar, as actividades extracurriculares, a alimentação, as propinas, as mensalidades, os ténis da moda, o casaco de marca, as calças fixes, enfim...e tudo aquilo a que os pais foram habituando os filhos, muitas vezes sem poderem, alguns até acumulando dívidas, só para lhes darem o “que precisam e o que querem”.
Claro que qualquer pai quer o melhor para o seu filho, mas o melhor muitas vezes não implica dar o que é superficial, o que é fútil, o que não interessa.
Claro que não se pode generalizar, mas o que se vê por aí, e tal como acontece no Natal, é que grande parte dos pais, tentam compensar materialmente os filhos da lacuna presencial a que os sujeitam o resto do ano, no sentido real de estar presente, que a maior parte das vezes, acontece em prol da carreira profissional, ou em função da desculpa da carreira profissional, apenas optam pela via mais fácil, passar o cheque e fechar os olhos e isso não é um bom prenúncio para o amanhã.
Afinal.
"Os filhos tornam-se para os pais, segundo a educação que recebem, uma recompensa ou um castigo."  (J. Petit Senn)
Imagem: Internet

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Vida de princesa

Não sei se se trata de uma crise de idade ou de identidade, não sei se é uma anorexia restritiva de sentimentos perdidos algures entre o soar das 5 da tarde e as 5 da manhã, e um copo de água para beber.
Não sei, mas nunca estive tão decidida, tão determinada, tão segura de mim.
Sei que sou a principal, a única, responsável pelo caminho traçado na minha vida, e o que quero fazer a seguir é sempre mais e mais. É sempre uma ansiedade, é sempre um desejo concretizável, uma força imensa que brota dentro de mim, uma árdua esperança de quem consegue agarrar a vida nas mãos e com as mãos, os pés, a cabeça, ultrapassar os obstáculos, e eles são sempre muitos.
Não fosse o meu cérebro o chefe de família, o meu coração o chefe do chefe de família, e as formigas já não dormiam mais no alpendre da nossa casa. Não fosse o teu sorriso todas as manhãs, e o teu hálito a bagas de arroz e salmão com gambas e eu não aguentava nem mais um dia, prisioneira desse tempo escasso e irrecuperável.
Não posso lamentar ou rejubilar-me sobre o que fiz, tenho sempre que pensar no que quero e no que me falta fazer. Na cumplicidade e no compromisso que tenho comigo própria, porque cada vida é afinal, apenas e somente uma vida! O que na realidade é tudo.



quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Natureza ferida

Hoje tive um sonho, sonhei com um lugar belo e maravilhoso, uma paisagem de cortar a respiração, um amontoado de latas de várias cores e feitios, garrafas de vidro de plástico, produtos tóxicos, todo o tipo de papéis, enaltecido pelos zumbidos dos mosquitos.
Mesmo à minha beira, onde o rio multicolor se procurava juntar com o pálido azul do oceano, uma onda embriagou-me o relampejar das emoções com uma espectacular mancha negra, viscosa, misturada com uma torrente de água laranjada, despejada mesmo ali ao lado. Uma magnífica queda de água de resíduos, que mais parecia um arco-íris a sorrir numa manhã chuvosa. Creio que nenhum pintor faria melhor...
Tomar banho ali era mergulhar nas profundezas do oceano e ver as algas descoloradas, os corais pretos e acinzentados, as conchas escuras, sentir a força do mar erguendo o seu dorso portentoso e bronzear-me com a espuma negra, ver a água repleta de peixes boiando... boiando.
Quando abri os olhos desse sono inquieto, e olhei em redor, reparei que não estava no mar... não estava na praia, não estava nesse amontoado de lixo e de poluição, apercebi-me apenas que era uma tórrida tarde do mês de Agosto, não estivesse à minha frente um conjunto de árvores copadas, eucaliptos centenários, pinheiros grandiosos, e outras tantas plantas únicas e de rara beleza, e eu não estivesse a ver tudo a preto e branco. Suspirei de alívio e deixei o ar pesado, seco e enfumarado, entrar para dentro dos meus pulmões.

Imagem: Internet



quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Carpe Diem

Hoje recebi uma lágrima de afecto de alguém que está longe, e retribuí com força e coragem de quem luta pela vida. Estou contigo.

Levamos demasiadas vezes a vida numa correria, tentando chegar depressa a algum lado, sem nos apercebemos que o caminho que nos engole, que nos sufoca e que nos mata, é o mesmo que levamos ao colo, que carregamos nos braços, perdidamente apaixonados. Não vem disfarçado, não vem com mentiras. É sincero, pragmático e nada ficcionário. É apenas a realidade do final de mais uma hora, de um dia, de uma semana, de um mês, de um ano, de todos os anos. É apenas o final. Não vale a pena complicar a simplicidade do momento, a única coisa que interessa e que importa, é a vida, pois é realmente a única coisa que não tem preço mas que tem imenso valor. APROVEITA-A!

Imagem: Do báu lá de casa

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Canibalismo à mesa

Hoje está muito calor, mas dizem os entendidos em matéria do tempo (sei que seria mais fácil dizer meteorologistas, mas gosto de complicar) que ontem esteve bem pior. Acredito, avaliando os “modelitos” que se cruzaram comigo pelo caminho. Homens em tronco nu, com camadas e camadas de pêlos PUBLICOS, mulheres despidas de saias compridas e tops que deixam antever um pneu cheio de potencial para a salsicharia do Carlos, e outras tantas aberrações visuais, enfim eu e a minha má-língua... deve ser da fome.
 E......................Porque estamos quase na hora do almoço, descobri uma notícia que fala de um restaurante inovador, o "Flimé".
Trata-se de um restaurante brasileiro, situado Guajara Mirim, na Amazónia ocidental, que vai abrir brevemente em Berlim, e que procura dadores, com vontade de doarem partes do seu corpo, para a elaboração de pratos canibais.
Este restaurante procura juntar o saber da cozinha Wari (um povo canibal da selva amazónica), com as receitas da cozinha tradicional brasileira, porque segundo o velho provérbio Wari "comer é mais que saciar a fome, contemplamos a alimentação como um acto espiritual no qual se assume a alma e a força do ser que ingerimos". Portanto, já sabe, quando se quiser ver livre de alguma parte do corpo indesejável, é só ir ao site http://www.flime-restaurante.com/, e no cadastro preencher 2 páginas com informações, pessoais e  médicas, e esperar que seja seleccionado para fazer parte da próxima ementa.

Cardápio do site:
Entradas:
- Salgadinhos: Pastéis de carne moída
- Coxinha: Coxinha de carne
- Bolinho: Bolinho de carne com molho doce-picante
- Salada tropical: Salada tropical com fatias de filet e manga


Pratos principais
- Feijoada: Feijoada tradicional com arroz branco
- Baião de Dois: Baião de dois da região
- Carne de Sol Desfiada: Carne de sol desficada com banana frita, batata-doce e aipim
- Filé Mignon Abafado: Filé mignon com molho de cebola, tomate, batata e azeitona
- Figado ao feijão mulatinho: Figado ao feijão mulatinho ao molho de manteiga
- Coxão duro grelhado à Cubana. Coxão duro grelhado grelhado à cubana, com pêssego, banana e palmito


Sobremesa
-  Munguzá. Creme de milho branco e leite de côco
- Tapioca Doce: Tapioca doce com goiaba, doce de leite e bolo de côco
- Sorvetes; Sorvete de maracujá, côco e baunilha com molho de castanha e cajú, mel, goiaba ou framboesa
- Frutas: Abacaxi e mamão fresco

Acho que depois disto vou directa para a sobremesa
BOM APETITE

Nota de rodapé
Os associados do FLIME concordam, com este, em doar para o FLIME qualquer parte de seu corpo, que será determinada pelo próprio associado. O FLIME assumirá  apenas os custos hospitalares. O associado não receberá nenhum outro crédito financeiro. A finalidade do uso da parte doada é de livre escolha do FLIME.





Fonte da Noticia: Correio da Manhã e Flimé
Imagem: Internet

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Abraços

Nesta época do ano, final de Agosto, altura em que se começa a regressar à rotina e em que nos noticiários só se fala de depressão pós férias, (sublinhe-se a mesma reportagem todos os anos pela mesma altura), tudo o que esta "psicóloga" sem formação na área sugere... para além de mudarem de canal é, uma chuva de abraços.



"Você me faz tão bem - Detonautas"

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Encruzilhada

No meio de um episódio matutino, cruzei-me com um enigma, uma encruzilhada de notícias que falam de um conjunto de pessoas que actuam convictas da sobriedade e nobreza dos seus actos.

Já é meia tarde! Sinto vontade de voltar ao inicio e de recomeçar de novo. Mas não posso, o caminho está demasiado longe e no seu espaço e tempo, tudo o que surge, é um mundo pior, uma maré cheia de coisas podres, uma linguagem que mais parece uma introspecção de palavras incompreendidas. Falsas promessas de um homem nu de roupa, mas completamente vestido, coberto de nobres sentimentos, porque toda a gente merece, uma primeira, segunda, terceira, quarta, quinta, sexta... oportunidade, desde que a complexidade do momento não ultrapasse a fasquia da vida.
O que fiz?
Continuei o caminho e no meio da encruzilhada procurei a página das anedotas.


Imagem: Internet

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

case study

O simplex é uma palavra moderna, jovem, atrevida... até bem escolhida tendo em conta o que pretende alterar, as burocracias do sistema público. Mas quando se passa da teoria à prática as coisas simples tornam-se demasiado confusas e complicadas. Ora vejam...
Descobri uma fraude na segurança social na última empresa onde trabalhei. Depois de ligar para a linha da Segurança Social Directa e devidamente informada, pensava eu, dirigi-me à Segurança Social da área de actuação da empresa, com todos os comprovativos do "erro propositado" em questão, e questionei os serviços (depois de 24 senhas de espera, onde estava apenas uma pessoa a atender e outra a conversar), sobre o que fazer para apresentar formalmente a denúncia...
Blá, blá, blá para aqui e para acolá, a funcionária, disse-me que o melhor era dirigir-me à Inspecção do Trabalho porque eles seriam mais rápidos a actuar nestas situações. Enfim... empurrada para a Inspecção do Trabalho (agora ACT), fiz 30 Quilómetros e lá fui, sempre com a ideia de boas práticas.
Já no ACT, fiquei com a senha nº7 (das 12 que dão na parte da manhã), nada mal tendo em conta que estavam lá pessoas desde as 6 da manhã. Quando chegou finalmente a minha vez, a funcionária (também a única a fazer atendimento), disse-me que denúncias de fraudes desta natureza, tinham que ser feitas na Segurança Social porque eles têm fiscais que fazem esse trabalho, também me disse que é usual "eles" empurrarem as pessoas para ali, porque não querem ter trabalho. Uma denúncia dá trabalho, enfim... têm que se deslocar à empresa, (que no caso fica a meio quilómetro) compreende-se, é demasiado longe!
Claro que não desisti, claro que acredito no sistema e procuro fazer aquilo que acho correcto e certo, mesmo perante os obstáculos que se apresentam. O que não se compreende, é como se demora e se complica tanto a resolver um assunto que lesa o próprio estado, que o faz perder dinheiro... é simplex demais para ser verdade.



 
 
 
 
 
 
 
 
 
Imagem: Internet

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Acontece

Tenho consciência que tenho andado meio perdida e esquecida das lides deste cantinho... à procura de um requerimento para uma denúncia particular.

É impressionante como uma pequena vila de pescadores se transforma no mês de Agosto. Só de pensar no areal, no extenso areal vazio dos restantes meses, cheira a maresia e soa a nostalgia.
Enfim... pulseiras da energia, e saltos acrobáticos do terceiro andar para a piscina à parte...

É respirar fundo e escutar com atenção... porque o continente é já ali.
Até logo.

Fonte: TSF

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

O condutor embriagado pelo sovaco do burro...pode não ser bem assim.

Já não estou de férias, mas também ainda não regressei ao trabalho; estou naquela terra pantanosa do quase qualquer coisa. Não sei se me fiz entender, por vezes entrar nesta cabeça não é fácil e muito menos simples. Complicado!? Já é uma palavra difícil.

Em plena campanha de prevenção rodoviária para umas férias com menos mortes na estrada, as atrocidades e as infracções que tenho visto por aí, parecem ser... uma coisa do outro mundo, principalmente por aqueles que conduzem carros com matrícula estrangeira. Será que as regras de condução não são universais? Ou será que pensam que Portugal é um país de facilitismos e que a nossa polícia não é competente?
Pois estão completamente equivocados. Fiquem sabendo que ainda na passada quarta-feira, um agricultor foi detido, pela GNR de Celorico da Beira, por conduzir um Burro com uma Carroça Atrelada de alta cilindrada,  sob o efeito de álcool. 2,84 g/l, no teste efectuado pelos militares, ao condutor não ao burro, claro! Agora respondam: Se isto não é eficiência policial então o que é?

Boa continuação....



 
Fonte da notícia: Correio da Manhã
Imagem: Internet

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Noveladas

Entre uma limpeza abrupta no baú das coisas perdidas e uma ida à praia, vislumbra-se um resto de tarde morena, algures, entre as tuas pernas cruzadas, na esplanada da casa do vizinho que gosta de cantar o fado à meia-noite, e os meus cotovelos arqueados a precisarem urgentemente de manicure...
Momentos lúdicos, só eficazmente ultrapassados pelas novelas que assolam o espaço mediático, cada vez mais à hora dos noticiários... é o diz que disse e o que ficou por dizer, porque o que devia de ter sido dito, perdeu-se, algures entre o tempo em que o que é, já não o é. Perceptivél? Claro? Free Port.
É o juiz que foi de férias, o magistrado que engoliu um caroço, os papéis que se perderam nas gavetas amarelas, da nova mobília do tribunal, a testemunha que teve dor de barriga, o advogado que não se deixou corromper, enfim. Uma panóplia de situações que adiam tudo, mais uma vez, agora para o mês das uvas. Confuso? Intrigante? Casa Pia.
Para finalizar, o que mais me impressiona nestes festivais noveleiros, que simpaticamente alguém chama de noticias, é ver os jornalistas perguntarem a um velhote que acabou de perder tudo num incêndio, a casa, os animais, e as reservas agrícolas, como é que se sente...
Bestialmente estúpido, apetece-me dizer.

Imagem: Internet





quinta-feira, 29 de julho de 2010

Veraneios

Enquanto Neptuno vai espirrando para cima de mim a brisa do mar lembrando o quanto é bom estar de férias…
Enquanto descontraidamente vagueio meus olhos verdes, cor de pincel, pela imprensa diária e entre inícios de temporadas futebolísticas e fins de políticas escaldantes, algures entre as promoções de Verão e campanhas que antecipam, as campanhas antecipadas do regresso às aulas, eis que surge seguro e triunfante, (podia ser o Zezé Camarinha e as suas Babes ) mas não é, este é homem de outras corridas e dizem as más-línguas que também não é a Passos que o Coelho o apanha, (o trocadilho não foi feliz confesso, mas quase que estive lá).
Enfim… O Zezé Sócrates veio dizer ao país que agora é um homem de Free Port. “Porque a verdade acaba sempre por vir ao de cima.”

Outra frase mítica de Verão:
"Crime namber faive!" (O Zezé Camarinha no seu melhor, aconselhando uma camone a espalhar o creme bronzeador, quem não se lembra?).

Pronto lá voltei a meter água.

Imagens: Internet