quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Feliz Natal

Já é Natal. 
É tempo de reviver os momentos em família, horas de encontros e reencontros, de pausas e de partilha, "de preferência longas". Tantas quanto as conversas e os mimos trocados antes, durante e depois da ceia, "com bacalhau pois claro" e com pedaços de saudades daqui e dali... de quem já não está, de quem está longe e de quem está perto mas ausente... e assim se vai enchendo o coração, a única explicação  para o aumento substancial de calorias nesta época do ano.


segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Que se deixe ser a justiça a fazer a justiça..

E se subitamente... não ouvíssemos mais falar de corrupção, de branqueamento de capitais, de favorecimentos, de lavagens de dinheiro. Se deixássemos de espreitar por entre as "cortinas" à procura daquela "imagem" que mostrará o rosto que não queremos crer, mas que todos queremos ver. Se deixássemos de usar a nossa "sede de verdade", como desculpa, para mexer com tudo, em tudo.
 Julgar!
Que se cumpram as leis e que se faça justiça, mas que se deixe ser a justiça a fazer a justiça.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

O Lixo do Luxo


Tanto se tem falado por estes dias em honestidade.
Os vistos Gold são a prova viva de que a ganância e a vontade de fazer e de usar o poder em proveito próprio passando por cima de todos, num vale tudo e num tudo vale, daqueles que nada valem. UM LIXO!
E pensar que os "bons" exemplos acabam por vir dos homens que no exercício do seu trabalho encontraram "o Euro Milhões" e que não hesitaram em o devolver. Pessoas que levam para casa as "migalhas", a que um dia "os do vale tudo e do tudo vale, daqueles que nada valem", resolveram dar o nome de salário mínimo. UM LUXO!

 "Ao meu querido fã número um, que reclamou a ausência da Catirolas"


segunda-feira, 20 de outubro de 2014

O tempo que faz e o que fazemos com o tempo.

O tempo que faz não é bem o tempo que o calendário nos ensinou a querer, mas enquanto aguardamos pelo dia internacional de descer das árvores, mesmo ao lado do dia internacional de as subir (caso não saibam é o dia 28 de março), vamos aproveitando o tempo para comer castanhas e bebericar umas imperiais, em calções, porque sem darmos conta, o que nos dá fulgor à alma é a certeza de estarmos perto, de qualquer coisa nenhuma. De vivermos um pouco na incógnita daquilo que não sabemos, mas que faz todo o sentido e do que julgamos controlar mas que na verdade é incontrolável, a vida... por isso é que o tempo que faz hoje faz tão bem!

"De perto ninguém é normal", Caetano Veloso "e ao longe a normalidade é uma anormalidade óptica" Catirolas




quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Amizade

Há dias assim.
Momentos de outono em que sou invadida pelo recordar do cheiro a castanhas, "quentinhas e boas" da Rua Augusta, pelos almoços em jeito de tertúlia da "má língua" na Gulbenkian, ou das ginginhas ao final da tarde em copos de vidro mal lavados. Há dias em que me faz falta a confusão do fecho de qualquer coisa grande. Da gente que usa gravata durante semana e que se veste de modo casual à sexta-feira; de um "after work" no Pavilhão Chinês e de sentir o cheiro a maresia misturado com  o óleo dos barcos que atravessam o Tejo. Tenho saudades das conversas banais no "Pulo da Cerca" e de comer um gelado "numa praia sem vento", mas o que é mais verdade é que sinto falta daquelas pessoas com quem tive uma relação grande parte da minha vida, gente citadina mas simples, puras e genuínas, que sabem como eu sou, do que gosto e como estou naquele dia, com um simples olhar. Amigos de sempre e para sempre... que apesar de estarem perto estão demasiado longe para neste momento conseguir abraçar.

terça-feira, 23 de setembro de 2014

National Geographic em horário nobre

A estreia da 5.ª edição da casa dos segredos foi vista por 1,5 milhões de espectadores.
Apesar dos números assustadores, a única coisa que realmente me surpreende é saber que existe tanta gente interessado em programas do género a que o "National Geographic"  já nos habituou. 
Uma dezena de animais fechados num "ambiente controlado", monitorizados, alimentados e manipulados, acompanhados por uma população, ávida de polémicas, "cusquices", traições, mentiras e de muita pornografia barata. Certamente que os "animais" escolhidos a dedo, tal ratos de laboratório, não irão desapontar e os próximos meses prometem muito, porque hoje em dia parece que vale mesmo tudo sem filtros ou limites. Valha-nos a escolha de cada um! 



quarta-feira, 10 de setembro de 2014

A "Geniosidade" da Catirolas

Um dos assuntos que está na ordem do dia é a campanha eleitoral para a escolha do novo líder do Partido Socialista e que teve ontem o primeiro debate televisivo, entre os dois candidatos. 
Sabendo de antemão que a politica que realmente tem interesse, para além dos problemas concretos e reais da grande maioria dos cidadão, é os jogos do empurra, do diz que disse, onde vale tudo e tudo vale para a cadeira do poder, lembrando a cada palavra não dita, que as pessoas são apenas aquilo que são, com valor real quando traduzidos em números e quando esse número vale um voto, isto sem querer generalizar ou particularizar, não sei bem porquê mas acho que aquele que tem maior probabilidades de vir a ser o próximo líder do Partido Socialista é o António. 

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Os banhos públicos de São Pedro

Nestes últimos dias tem chovido copiosamente um pouco por todo o país, mas ao contrário do que seria de esperar esta chuva de verão não deriva de nenhum fenómeno meteorológico ou de alguma explicação cientifica. A verdade é que depois de ver tanta gente a despejar baldes de água fria para cima da cabeça, (os banhos públicos), S. Pedro ficou confuso e decidiu ele próprio dar uma ajuda, fazendo aquilo que ele faz melhor.... chover! 

sábado, 6 de setembro de 2014

A outra face pouco oculta

A atenção mediática do processo Face Oculta não é mais que um reflexo da nossa pequena realidade. Quantas vezes já presenteámos alguém com alguma coisa com segundas intenções, ou focado em algum interesse?  
Quantas vezes valorizamos e invejamos o "Chico Esperto" em contra ponto com o "Chico Honesto"?
Varrer o lixo para debaixo do tapete é uma realidade concreta dos nossos dias, que por mais se esconda não desaparece até que a limpeza aconteça.
O que importa reter deste caso, muito mais que a dimensão da corrupção ou a eficiência da justiça é saber o que andamos a fazer. 
Que mundo andamos a ajudar a construir, em que os valores materiais parecem prevalecer, cada vez mais, sobre os seres humanos?
  

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Emoções em caldos de galinha

Num cenário próprio de um filme, em que a paisagem é apenas mais um enlace romântico de emoções e de palavras congruentes, que mais tarde que cedo nunca acabam em bem.
Aqui há emoções aos "molhes" de tudo e para tudo; o rapaz que feriu o joelho num jogo de futebol virtual, a adolescente que descobriu o amor nas dunas da praia em dia de maré cheia e de lua vazia, ou a saudade daquele abraço de quem tem tudo para nos dar sem sequer nos tocar.... EMOCIONANTE
Ligados à corrente somos finalmente aquilo que queremos ser, absolutamente nada, num lugar de destaque em que a única realidade é aquela construímos, ou que deixamos des(construir), própria das modernices da modernidade onde envelhecemos lentamente emocionados com o cheiro e o sabor de uma canja de galinha, que não nos conseguimos lembrar!

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Corre(rias)

A vida é uma verdadeira correria.
Somos maratonistas, verdadeiros atletas, campeões de estádios imaginários, em que o trabalho, a família, os afazeres, são meras desculpas para dizermos que não temos tempo, para o tempo que temos, mas que afirmamos não ter. Um pouco como julgar, dizer mal, desvalorizar, menosprezar,..., o que julgamos com a nossa capacidade intelectual interplanetária saber mais que o outro, onde a generosidade, a simplicidade ou a humildade são realidades perdidas no meio desse meio tempo, em que nos dedicamos a tudo, menos ao que é realmente importante - tempo para escolher quem queremos ser nessa na nossa realidade mais ou menos livre- maratonistas de longa distância com o feudo na na barriga e o feno na cabeça. 



segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Paraísos da "santa terrinha"

Quantas vezes em tempo de férias percorremos milhares de quilómetros à procura do tal paraíso acabando por ir aos lugares onde todos vão? 
Quantas vezes gastamos dinheiro e tempo em pedaços de "natureza" de roteiros massificados, demasiado fotografada, nada idílica ou natural. 
Por vezes os lugares mais belos são aqueles que estão mesmo ao nosso lado... 


Fotos: Tiradas pela Catirolas, num paraíso da zona Oeste de Portugal.














sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Vamos a banhos públicos?

Vamos a banhos públicos?
A causa até pode ser nobre, a ideia até parece ser engraçada, mas será que valerá a pena todo este "espectáculo"?
Quando a ideia é ajudar parece que tudo vale e tudo serve e a sociedade, o mundo planetário, todos nós, ansiamos por ver os desafiantes cumprirem publicamente os desafios propostos pelos desafiadores. 
Para além do perigo que representa para a saúde, um banho gelado, a questão que se coloca é o que se seguirá? Matar alguém? Saltar de uma ponte? Dormir com os leões?
Será que não estamos a "educar e a incentivar" a sociedade a seguir as acções uns dos outros, sem sequer o questionar, deixando a mensagem de que para ajudar é preciso chegar a estes extremos?
No fim de todo este espectáculo o que menos importa são os fins, que parecem em tudo e para tudo servir que nem uma luva para justificar os meios.

Cartoon Partilhado do site: http://asdcavir.com/2014/08/cartoons-banhos-publicos/#.U_cOicUj25w
By JV PINTO


terça-feira, 19 de agosto de 2014

Insensibilidade humana

Nas férias é usual, infelizmente, ver-se por aí, muitos casos de abandono de animais que não cabem dentro do narcisismo, egoísmo e comodismo, de todos aqueles que querem ir de férias sem problemas e com a (in)consciência tranquila, como se um "amigo" fosse um problema,  mas a verdade é que abandono não é apenas pegar num animal e deixá-lo à beira da estrada.  Existem outras formas, um pouco mais camufladas, mas que não escapando à visibilidade da Catirolas, não me sentiria bem se aqui não as referisse. Deixá-los no quintal durante vários dias, semanas, sem limpeza, ao calor e ao frio, sem comida, ou água, sem carinho, também é uma forma de abandono. A verdade é que se não se tem condições físicas e psíquicas para se ter um animal, não vale a pena sequer tê-lo. Algumas pessoas deveriam passar por rigorosos testes de selecção antes de poderem ter um animal de estimação e de preferência feitos pelos próprios.

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Um dia banalmente perfeito,

Por vezes ao olhar para o horizonte pelo buraco do telefone não consigo deixar de pensar.
Que mundo este em que as pessoas são vítimas no seu local de trabalho de uma espécie de assédio moral, pela imposição de tarefas e pela ameaça constante de um futuro tão incerto como a vida, que é cada vez mais para ser vivida, um dia e apenas um dia de cada vez?
Que lugar "icónico" este em que as crianças são atiradas para "abraços de água a ferver", pelos próprios pais?
Que gente, que mundo! O que se passa com os valores, com a amizade, com o respeito e com o amor? 
Perdidamente desesperados em luta pelo desespero de uma causa com pouca casualidade, mas de muito feio efeito. Esperança que o tal dia de um dia de cada vez e que hoje é um inferno seja amanhã, com muitas repetições, um dia banalmente perfeito...365 dias por ano.    

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

À procura do paraíso

Se queremos fazer mais e melhor o que nos impede? Se sabemos que nos usam, que nos manipulam e que nos moldam ao sabor da ventania, porque deixamos?
De que serve tanta energia e coragem para ir, se o medo nos prega ao chão, com uns pregos imaginários que muitas vezes é apenas fruto de uma imaginação demasiado cultivada em campos sem estrume e sem água de uma cultura biológica radioactiva, quase impossível de vingar.

Não vale a pena andar de carro a meter a mudança errada se é para andar aos soluços pela vida...Podemos sempre fazer o caminho a pé, mesmo devagarinho, sem mapas ou direcções apenas com o coração e a intuição de se ser apenas aquilo que se é, com a certeza da incerteza, de que seja qual for o tempo e a distância percorridos, qualquer passo, é sempre melhor do que não sair do mesmo lugar à espera que um dia alguém se lembre, nos pegue ao colo e nos leve para o “paraíso”.

Foto: Catirolas

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Paris Hilton a DJ que "arrasou" Vilamoura

 A socialite Norte Americana Paris Hilton esteve na madrugada da última terça-feira a animar a discoteca Seven, em Vilamoura...mas com tanta gente dentro da discoteca, a única pessoa que deve ter conseguido dançar ao som da música, terá sido a Paris Hilton, pois só a cabine de DJ tinha espaço para tal, tudo resto parecia mais uma festa do "empurranço" e do "roçanço", mas de uma forma chique e glamorosa, ou não fosse esta uma das discotecas mais IN do Algarve e esta uma das festas mais badaladas. Nota: (como se houvesse diferenciação possível para esses palavrões).

Foto: Internet

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Quando a comédia é apenas o falso rosto da realidade

Morreu Robin Williams, o actor que tantos inspirou com a sua maneira de ser, com o seu sentido de humor, com a capacidade de fazer rir... Mas afinal quem era o homem cujo o humor que tanto o caracterizava parece não ter sido suficiente para interpretar o maior papel da sua vida, a sua vida?
A realidade é que no mundo existem muitos actores, que encarnam uma personagem, uma atitude, na vida que pode não corresponder exactamente ao que sentem e aquilo que são, muitas vezes mesmo ao nosso lado, no nosso circulo de amigos, na nossa família, muito difícil de descobrir muito difícil de saber, muito difícil de combater.
Somos humanos e todo o ser humano tem os seus limites.





No dia da juventude à procura do dia do adulto!

Hoje é o dia internacional da juventude, por todo o lado há ofertas, transportes, entradas em museus e uma série de actividades para e ligadas aos jovens sem qualquer custo, jovens até aos 30 anos, o que deixa de fora todos aqueles que apesar da sua energia, da sua vontade e da sua atitude psíquica intemporal, que contraria qualquer estado físico e natural próprio de quem desde que nasce, “cresce” todos os dias um bocadinho. 
Pelo menos uma vez por ano, existem dias para tudo e para todos; dias para os avós, para os pais para as mães, para os filhos, até um dia para os animais, mas ainda não fizeram um dia para todos aqueles que ficam ali no limbo... entre os 30 e os 65, que não se enquadrando em nenhuma categoria específica, são apenas adultos com muitas contribuições para pagar e ainda que alguns se pudessem enquadrar pelo menos no dia dos animais, a verdade é que hoje definitivamente não é o seu dia! 

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Limites do Pós Pimba

Não tenho vindo a "banhos" de letras por estas paragens... mas se calhar estou a precisar de "tomar" os "ares" que os artistas portugueses têm vindo a oxigenar na comunicação social. 
Será que está tudo doido, "como dizem os Deolinda", ou  o "Sai da minha Vida", da Ágata que tinha acabado a carreira e que depois voltou, segundos antes de se ter cruzado nos bastidores da carreira, com pai do Rock, "Rui Veloso" que lhe confessou que padecia do mesmo mal e que também ele iria colocar, não uma virgula, mas um ponto final na carreira, por se sentir desiludido com o país musical e com os novos artistas que já em muito ultrapassaram os limites do Pós Pimba, (Ponto de exclamação). Esperemos que as reticências apareçam depressa e que a pausa não seja demasiado longa.

terça-feira, 8 de julho de 2014

O melhor das Férias é....

As férias estão aí, semana mais semana, dia mais dia, elas chegam de “carroça” devagarinho e partem de avião. Mas se é verdade que se por um lado ansiamos tanto, por esquecer a cara do colega, a voz do “Big Boss”, das rotinas, do email, ou do sabor da comida aquecida no micro ondas para poupar uns trocos; por outro, quando estamos no “tal lugar de relax”, que escolhemos criteriosamente de acordo com a cobertura da internet, não resistimos a visitar o “mundo virtual” e a colocar fotos de cada recanto mais “estúpido” do “mundo real”, para todos perceberem onde estamos e o que estamos a fazer nas nossas férias, uma realidade paralela que deturpa completamente o conceito de desligar. Mas se neste verão conseguirmos efectivamente deixar as tecnologias fechadas no armário e desfrutarmos dos momentos, então podemos dizer, a nós próprios, a única realidade que interessa, que estivemos de férias MESMO!

Foto: Internet

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Avós de netos imaginários.

Com a chegada do verão e das férias escolares, a ocupação dos “miúdos” é sempre uma “dor de cabeça” para as famílias, sem dinheiro e tempo para os ocupar em actividades próprias em tempo de férias. A opção é na grande maioria das vezes recorrer aos avós. Uma geração que conseguiu reformar-se ainda em idade relativamente jovem e que é uma mais-valia e uma grande ajuda para os pais aflitos. Uma geração que será extinta em poucos anos, pois com o aumento da idade da reforma e com o aumento dos encargos, os pais de agora avós de amanhã, terão que trabalhar mais e durante mais anos, e provavelmente não chegarão a ter muito tempo para os netos. Um problema que não teremos sequer que nos preocupar, pois com a taxa de natalidade a decair para níveis assustadores, os avós de amanhã serão apenas avós de netos imaginários.

quarta-feira, 2 de julho de 2014

E se subitamente ficássemos todos sem Internet?

E se subitamente ficássemos todos sem Internet, sem blogues, sem redes sociais, sem telemóveis, sem os meios de comunicação dos tempos modernos. Será que teríamos a capacidade de voltar a saber comunicar? De encontrar um "amigo" sem atrasos, de procurar e de passar informação,  de sair da "toca" e de cultivar as relações pessoais, com as pessoas, num mundo físico, olhos nos olhos, com todas as implicações para o bem e para o mal, que existem na comunicação presencial, com ou sem sinais de fumo. Será que teríamos a capacidade de nos voltar a encontrar? 

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Formadores de Opiniões positivas

Portugal é um país de críticos. Críticos do futebol, da culinária, da politica, dos direitos dos animais e das plantas, da arte, da música, da moda, enfim... é uma "profissão" com tal dimensão, que até já existem críticos para criticar aquilo que aqueles, que nasceram para criticar, criticam. 
Mas o que é mais curioso, não é o facto de se ser critico de alguma coisa, porque em bom rigor, "o especialista" em determinada área que o faz de uma forma objectiva com argumentos que sustentem o seu comentário, acrescenta valor e faz falta ao mundo. Mas o que acontece na maioria dos caso é que as "farpas" que se lançam na "praça pública", ultrapassam muitas vezes os limites da objectividade, onde dizer o que está mal, é o mais fácil e que dá mais gozo, esquecendo de o fazer com aquilo que está bem e são tantas, as coisas boas que se fazem em Portugal e no mundo e são tantas, as pessoas, que de uma forma mais ou menos anónima, se esforçam para mudar, ou fazer alguma coisa sem qualquer interesse pessoal ou profissional, que deveriam ser mais vezes, "alvos" dos formadores de opiniões positivas.



sábado, 7 de junho de 2014

A indiferença da cidade e a notoriedade da santa terrinha.

Por vezes se a vontade de fazer mais, melhor e de correr mais além, com uma visão que não nos é alheia, e muito menos indiferente à falta de capacidade de ler nas entrelinhas, nos coloca para segundo plano, vulnerável aos interesses e às vontades de "seres de pensamento superior", que em nada nos constroem e nos dignificam como profissionais. 
Então o que andamos a fazer e porque razão continuamos? 
Talvez porque temos paixão e muito gosto no que fazemos, sem obrigações, ou prémios monetários. Porque o que interessa são as pessoas de carne e osso, onde não existem estatutos ou carreiras egocêntricas, sentindo e realizando o valor e o papel que cada um tem na vida e na sociedade, ainda que questionável .Valorizando sem preconceitos ,tanto aquele que come o pão fresco todos os dias, sem nada  fazer para ter direito a ele, como aquele que o faz todos os dias sem o poder comer. "Retratos" que me lembram outros tempos e outras paragens, onde indiferença da grande cidade parece continuar a ser muito melhor que a notoriedade da santa terrinha. 

quinta-feira, 5 de junho de 2014

A politica do futebol e o futebol com politica = 0

Não há dúvida, Portugal está em êxtase por causa do Campeonato do Mundo de Futebol. 
Já não basta todas as reportagens à volta da partida e da chegada da selecção, do que fazem, o que comem, quando vão à casa de banho. De todas as criticas de moda à volta das barbas e dos bigodes dos jogadores, de todas as teorias e estudos sobre a lesão de Cristiano Ronaldo, e agora ainda vem Passos Coelho também entrar em campo e "chutar" a bola para o Tribunal Constitucional e assim "queimar" tempo para o jogo terminar com um resultado favorável ao Governo. 
Decididamente melhor mesmo só as analogias de Bruno Carvalho sobre as quais não vale a pena teorizar.

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Laços coloridos

Este é um ano para reforçar laços e não me refiro aos laços dos vestidos, ou daqueles que adornam as prendas. A verdade é que por vezes o estar longe e o querer estar mais perto, nos faz sentir que quanto mais perto estamos mais longe parecemos estar e a verdade é que estamos mesmo perto, dessa terra onde o pensar e o realizar, são tarefas de dia a dia, onde as pessoas são muito diferentes de outras com as quais as relações afectivas já estariam estabelecidas e onde o saltar e quebrar barreiras com um sorriso ou com aquilo que somos todos os dias, sem fingimento, com a naturalidade e talvez até alguma ingenuidade que nos caracteriza, não nos torna mais dignos e mais merecedores desses laços, apenas ousados e diferentes e até únicos, seja isso uma coisa mais ou menos positiva.


terça-feira, 27 de maio de 2014

Um "UNO" de muitas energias colectivas.

As eleições europeias ainda estão na ordem do dia, mas não sei se hei-de desprezar mais a falta de ideias concretas para o futuro de Portugal e da Europa, ou a nossa sociedade, na qual me incluo, pela falta de vontade em participar concretamente no que é importante para o futuro de todos. 
Passamos a vida enfiados com a nossa cabeça de avestruz no buraco e quando olhamos o sol, mesmo num dia de nuvens, parece que somos invadidos por uma onda de ignorância mas ao mesmo tempo de sentido critico demasiado apurado e afinado para quem não percebe nada, mas que sabe quase tudo. 
Olho em frente com uma vontade optimista e faço uma pequena reflexão por todos aqueles, que mais do que nunca correm sem saber realmente para onde vão ou para onde querem ir. Não se iludam, não vivemos sozinhos no mundo, nem nos locais mais distantes onde a solidão é um flagelo. Tudo o que fazemos como um gesto único, é na verdade um "UNO" de muitas energias colectivas.

Imagem: Internet

terça-feira, 20 de maio de 2014

E na hora de votar... escolhe a tua pulseira elástica da moda

O país prepara-se para enfrentar mais uma votação eleitoral. Poucos são os que sabem as propostas concretas que os partidos apresentam e os rostos que nos irão representar no Parlamento Europeu, mas muitos são os que não querem, não procuram, nem tão pouco tem intenção de votar, nesta que habitualmente costuma ser em Portugal, a votação que apresenta menos idas às urnas. 
As pessoas parecem estar de "costas voltadas com a politica e com os políticos", mas se é verdade que pelo país fora, na comunicação social, na barbearia, no café...na sociedade em geral, muitos os são os candidatos às criticas, mais ou menos construtivas, a realidade é que na hora de fazer alguma coisa pela sua terra, pela aldeia, vila, cidade, região... pelo país, nem que seja um gesto cívico tão simples como reciclar o lixo ou até mesmo votar, poucos há, que tenham mesmo vontade de fazer e de mudar alguma coisa. 
  

sábado, 10 de maio de 2014

A moda de ir a Fátima a Pé

Por estes dias, muitos são os peregrinos que se deslocam até Fátima, numa caminha de vários Km, e todos os anos aumentam o número de pessoas que o fazem. Mas será que são todos movidos pela devoção a Nossa Senhora? Claro que não, a verdade é que em muitos casos a ida a Fátima a pé, tornou-se numa moda, muito mais que uma questão de devoção. De qualquer forma o sentido mantém-se e se as pessoas por fazem por promessa, por devoção ou simplesmente porque é "giro", fazem-no porque acreditam em alguma coisa, e acreditar em algo é ter fé. 


terça-feira, 6 de maio de 2014

Uma palavra aos amigos das minhas letras

Sei que ultimamente tenho andado fugida este espaço, mas descansem que a Catirolas não está em insolvência. Para ser sincera, tenho andado a tentar arranjar coragem para escrever sobre uma pessoa que perdi...para outro lugar, alguém que não via todos os dias, mas que sabia que estava lá, que me fazia os queijinhos frescos com a palma da mão, que me fazia rir com o "remédio dos Pitos", que tinha sempre um carinho, uma palavra e uma história para contar. 
Nunca mais me irei esquecer da sua alegria, da sua ternura e essencialmente da sua magia, que fazem parte de mim e que sem dúvida me ensinaram a ser aquilo que hoje sou,... hoje é esse dia.

Até sempre A.M.






quarta-feira, 23 de abril de 2014

O Silêncio da Planície

Dia 23 de Abril é o dia Internacional do Livro. Apesar da evolução dos tempos e de lermos cada vez mais o que se escreve online, em detrimento da leitura do livro físico. Os livros são e continuarão a ser, pedaços mais ou menos completos de letras, de palavras e sobretudo  de sentimentos, sejam técnicos, científicos, históricos,... ou lúdicos, porque as pessoas que os escrevem ou que "pedem" para os escrever, sendo mais ou menos letradas, são o intelecto que levam à  sua criação.   

Um livro que vale a pena ler:
O Silêncio da Planície, Maria do Céu Barradas





terça-feira, 15 de abril de 2014

Os campos de concentração da saúde

No outro dia vivi uma experiência na terceira pessoa, porque se fosse na primeira, não sei se tinha aguentado, absolutamente de outro mundo, que entre hospitais públicos e viagens de vários quilómetros, o problema de uma espinha espetada na garganta, ficou resolvido em 10h00, removida sem anestesia com uns tubos enfiados garganta abaixo. 
Desde que houve um aumento das taxas moderadoras, os portugueses estão a optar pelas urgências dos hospitais privados em detrimento dos hospitais públicos, o tempo de espera e a qualidade do serviço estão na origem dessa opção.
O Ministro da Saúde acha normal, uma concorrência saudável. 
Qual concorrência? Se o atendimento, a qualidade do serviço e o tempo de espera  não têm comparação. 
Não há sistemas perfeitos é verdade, mas aspirar a perfeição deveria ser uma máxima, ainda mais quando se trata de pessoas, de vidas humanas... uma população a caminho do extermínio e da extinção, num campo de concentração moderno a que deram nome de Urgências.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Chutos e Pontapés

Já há algum tempo que queria publicar isto aqui.
Com 35 anos de "Chutos e Pontapés", fica aqui a homenagem.
Publicado no "Correio da Manhã", 28 de Fevereiro 1999.

sábado, 5 de abril de 2014

O Apelo!

A vida muda de um dia para o outro, nada é aquilo que tantas vezes planeamos e quando pensamos que temos o "mundo controlado",  logo vem o "universo", dizer-nos precisamente o contrário. Este fim de semana vai haver mais uma campanha de recolha de alimentos promovida pela Missão Sorrisos e pela Cruz Vermelha e por uma série de voluntários onde se incluí a "Catirolas". 
Se for possível ajudar, ajudem! Nunca se sabe o amanhã e o amanhã poderá ser quando menos se espera. Agora mesmo!



quinta-feira, 27 de março de 2014

Já falaram com alguém hoje?

A evolução do mundo e a evolução natural de todos nós faz com que as proximidades e as acessibilidades virtuais e físicas, sejam na realidade e simultaneamente um processo cada vez maior de proximidade e de afastamento social.
Naturalmente mudámos a forma de comunicar e as palavras que utilizamos hoje, para comunicar uns com os outros, são na sua maioria caracteres e imagens mais ou menos abreviadas, que muitas vezes nos levam a esquecer os sons, os cheiros e o tacto do contacto humano e isto não é assim tão absurdo, se repararem tanto pessoal como profissionalmente, as chamadas telefónicas que fazemos diariamente, são uma pequena, nano porção, dos contactos que fazemos via email e o mais estranho é que ficamos todos com a sensação de que já falámos realmente com alguém hoje.

domingo, 23 de março de 2014

Demasiado optimista e sonhador para um domingo, véspera de segunda.

O mundo não é um lugar comum, tal não é as diferenças que existem em cada recanto e em cada lugar, mas o mundo tem lugares que são comuns e que apenas diferem na forma como cada pessoa interage com eles, assim como são sempre diferentes as formas como as pessoas se relacionam umas com as outras. 
...E esperar que hajam de uma forma correta, honesta, sincera, com a comunidade desse mundo, com os outros, estranhos ou conhecidos e principalmente com elas próprias, é talvez querer fazer desse mundo um lugar de lugares únicos. Demasiado optimista e sonhador para um domingo, véspera de segunda.

quinta-feira, 20 de março de 2014

Dia do pai no mundo real.

Ontem foi o dia do pai. Fotos, mensagens, lembranças...mais ou menos reais e honestas, muito se disse e tudo se viu um pouco pela virtualidade a que tanto nos habituarmos, mas a verdade é que este outro mundo em que "pensamos que vivemos", não consegue superar em nada, todo o sentimento daquele abraço físico e carnal, do carinho, da cumplicidade...e que faz realmente do dia do pai o dia de qualquer filho. 

terça-feira, 18 de março de 2014

Manifestação Pública "Quero Ser Tua" .

Os tempos estão difíceis...Hoje em dia as manifestações são quase uma imagem de marca da sociedade portuguesa, uma forma de contestar o que não está certo. Mas a verdade é que já se tem visto manifestações que não são mais que manobras politicas, que pouco ou nada fazem para defender os direitos dos trabalhadores e dos cidadãos e que utilizam a conjuntura e  mobilizam pessoas para um único fim, a descredibilização do verdadeiro sentido da democracia. Claro que no meio do que está menos bem, existe a honestidade e a seriedade de muitos e não podemos generalizar. Mas politiquice à parte, o que por estes dias gostava mesmo, era de ver uma manifestação pública sobre a canção que irá representar Portugal no Festival da Canção, em Copenhaga, no próximo mês de maio, mas tenho a certeza que poucos foram aqueles que acompanharam o concurso e que já ouviram a canção.
Pimbalhadas à parte, ninguém diria mas a música foi escrita e composta por Emanuel.


quarta-feira, 5 de março de 2014

Vacas magras versus vacas obesas

Ao vislumbrar as listas da "Forbes" , é curioso constatar que se para os mais ricos, os tempos de "vacas magras" são tempos de "vacas gordas", para os mais pobres as "vacas magras", são já carcaças em decomposição onde já nem os ossos se pode comer. 
As desigualdades económicas, o abismo entre os que muito têm e os que de quase nada vivem e a extinção progressiva da classe média, são uma realidade dos nossos tempos... por vezes muito se especula de como seria se houvesse a 3.ª Guerra Mundial, que tipo de armas iriam destruir o planeta, mas a realidade é que já há muito que esta guerra está a acontecer, a mais longa e a mais dolorosa, a guerra económica e social, a guerra dos que tudo têm e dos que do nada sobre(vivem). 

http://www.forbes.com/lists/




sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Doenças raras uma raridade ou uma realidade?

Porque nunca é demais lembrar.
Consideradas doenças raras, as doenças que que têm uma prevalência inferior a 5 em 10.000 pessoas, existem no mundo entre 6000 a 8000, afectando 40 milhões na Europa, especialmente crianças. Em Portugal, em média 5% a 6% da população poderá vir a sofrer de uma doença rara. Actualmente, estas atingem quase 800 portugueses. São sobretudo doenças crónicas, graves e degenerativas, que colocam em risco a vida dos doentes.
Estas doenças são difíceis de detectar, por não serem comuns a outras doenças e por apresentarem sintomas muitas vezes coincidentes com outras já conhecidas, acabando por em muitos casos não se fazer o diagnóstico correto da doença, o que torna mais difícil a sua cura.
Hoje é o dia Mundial das Doenças Raras, mas o mais irónico é que as doenças não são apenas raras de acordo com o que já foi referido aqui, mas são também raras, pela raridade com que  se fala nelas.

https://www.facebook.com/Rarissimas







quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

O Carnaval da vida

É oficial, estamos naquela semana em que se respira, se fala, que se vive, que só se vive para o Carnaval (pelo menos em algumas regiões que englobam aqui a santa terrinha). Mas que se é verdade que nesta época e usando uma expressão tipicamente "brasuca", é a altura de colocar o disfarce e de "soltar a franga", não é menos verdade que muitos há, que se mascaram todos os dias do ano e que nesta altura aproveitam para, quem sabe, encarnar realmente a tal personagem que são, desde que nasceram, sem falsidades ou artimanhas, apenas com uma ou outra peruca, pintura, ou indumentária mais espalhafatosa.
Por isso, quando forem neste Carnaval, "brincar ao Carnaval" tenham cuidado, pois nunca se sabe quem ou o quê, podemos encontrar do lado de lá da máscara.


quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Existem outros desportos para além do futebol, certo????

Hoje começou a volta ao Algarve em bicicleta. Com um percurso de 690 quilómetros dividido por cinco etapas, onde entre muitas estrelas, oito equipas do Pro-Tour, está também o nosso Rui Costa, actual campeão do mundo. 
Uma prova com muito interesse, mas que porque e infelizmente o que os ciclistas trazem mais parecido com uma bola, é um capacete,  não tem qualquer transmissão televisiva em directo em nenhuma TV, nem na Internet. O dorsal do Rui, é o número 50.
É de lamentar o protagonismo que em Portugal se dá ao futebol em detrimento de outro tipo de desportos, muito mais interessantes e com atletas que vestem realmente a camisola, muitos deles por conta própria. 
É de lamentar a quantidade de programas e de comentadores que existem nos canais de televisão a falarem sobre futebol... só e exclusivamente.
Existem outros desportos para além do futebol, certo????





terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Tempo para viver

Quantas vezes nos olhamos ao espelho e nos sentimos diferentes?
Aos 15 anos tudo é possível, aos 20 somos irresistíveis, aos 30 atrevidos, aos 40 destemidos, aos 50 ponderados... e aos 80 tudo o que somos é apenas tudo aquilo que gostaríamos ser: amados, acarinhados , respeitados..., pelos amigos, pela família, pela sociedade, para que todo o tempo que vivemos e aquele que ainda nos falta viver faça realmente todo o sentido. 

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

O tal lugar.

Da mesma forma que somos atraídos pela desgraça alheia, deveríamos acordar todos os dias com a mesma vontade: vontade de ser aquilo que somos, simplesmente sem filosofias ou pontos de interesse, conscientes das dificuldades que temos e que muitas vezes causamos a nos próprios e aos outros, porque se do lugar onde vivemos toda a nossa a vida, resta apenas a memória, o melhor é viver o presente e o presente será sempre aquele lugar onde estamos agora sem nunca saber verdadeiramente para onde iremos depois.  
Foto: Baú da Catirolas

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

O mar esse malandro mal intencionado

Está na ordem do dia, infelizmente, porque o inverno tem sido rigoroso e chuvoso. A verdade é que por estes dias, muito se tem falado, na imprensa escrita, na televisão, por aí e por ali,  sobre o mar (esse malandro mal intencionado), galgar e invadir a marginal, o paredão, as estradas, a areia, etc.... Mas não estaremos a olhar para o problema de uma forma menos correcta. Será que foi o mar que nos ocupou o espaço que dizemos ser nosso, ou fomos nós que durante anos invadimos o mar e que ele agora reclama apenas o que a ele pertence?
Foto: Um atrelado que deu à praia da Vieira de Leiria, devolvido pela maré.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Juanita


Hoje contamos a história de JUANITA uma gata encontrada numa garagem na Escócia, cheia de frio, que tem um chip que indica que ela foi registada em Fuerteventura, nas ilhas Canárias.
A Juanita foi levada pela família que a encontrou ao veterinário e a uma associação de protecção de gatos, e aparentemente a única coisa que tinha era mesmo frio.... e talvez saudades de casa.
As autoridades pensam que os donos terão mudado de residência para a Escócia e não actualizaram os dados da gatinha. Neste momento existe um esforço conjunto para tentar divulgar esta história e devolver a carinhosa Juanita aos seus donos. 
Esperemos que com um MIAU feliz.

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

O papa Francisco foi capa da prestigiada revista "Rolling Stones"

O papa Francisco foi capa da prestigiada revista "Rolling Stones" esta semana.
Destacado como personalidade do ano igualmente pela revista "Time" e pela "Vanity Fair" este é sem dúvida um papa que tem desmistificado aquele estigma, que o papa é uma pessoa inacessível, quase um "Deus", acima dos homens e fiel às "leis da igreja" que vive no seu palácio encantado e protegido, longe dos problemas efectivos e reais da gente comum. Ora os tempos são outros e o papa "Chico", tem demonstrado que todo o ser humano é efectivamente isso um ser humano, independentemente daquilo em que acredita sem ser alvo de qualquer tipo de descriminação e é aí que ele tem marcado a diferença, porque afinal amar as pessoas é tão simples como estar  próximo delas física e espiritualmente falando.


terça-feira, 28 de janeiro de 2014

As cores do tempo e a analogia da Catirolas

Já repararam que nestes últimos tempos até o tempo, meteorológicamente falando, parece ter sido fortemente influenciado e condicionado pelas cores do governo português. 
No verão foram as manchas alaranjadas dos incêndios florestais a colorir o verde de Portugal, agora, em pleno inverno, não há semana que o país não esteja sobre o aviso laranja, seja pela chuva, pelo vento, pelo frio, ou pela agitação marítima. 
Quando será que teremos uma melhoria significativa do tempo que faz e dos tempos que correm? 

Imagem: http://ocaricas.blogspot.pt

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Tempo para ser feliz

Por vezes, estamos tão ocupados com a "vida", que nos esquecemos de ocupar a nossa vida com aquilo que nos faz realmente felizes.
Por falta de tempo, adiamos o re(encontro com os amigos e com a família),  a leitura daquele livro que há meses se encontra a ganhar pó em cima da cabeceira, as brincadeiras com os filhos, enfim... uma série de acções, que são facilmente substituídas por tarefas, muitas vezes rotineiras e das quais não nos conseguimos desligar . E o mais trágico e o mais curioso, é que quando acontece uma desgraça, parece que temos todo o tempo do mundo. É um pouco como diz Edward Derby "Os que não encontram tempo para o exercício, terão que encontrar tempo para a doença"....e nós temos que ter tempo e espaço na nossa vida, todos os dias, para ser felizes.


quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Brad Pitt solidário com os portugueses

Na última cerimónia da entrega dos globos de ouro, para além dos prémios e do guarda roupa na passadeira vermelha muito se tem falado do novo penteado de Brad Pitt, que aos 50 anos parece não lhe assentar tão bem como o smoking, apesar dele ter dito que o corte radical não era escolha dele, mas que porque o seu personagem do novo filme "Fury" assim o exigiu.
Ora a Catirolas não é nem pretende ser uma critica de moda. 
Para mim o Brad Pitt, será sempre aquele actor belo que marca uma geração, (a minha geração que obviamente não vou dizer qual é) e que se bem me lembro começou com um pequeno papel no extraordinário filme "Thelma & Louise" de 1991 e que catapultou para a ribalta com o filme "Lendas de Paixão" de 1994. 
Aos 50 anos e no filme "12 anos de escravo", continua muito bem, quanto ao novo penteado... a única coisa que me apraz dizer  é que e independente dos seus argumentos, é que também ele já entrou na era dos cortes.

Brad Pitt no filme Thelma & Louise
Brad Pitt com o novo penteado para o filme "Fury"

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

There's No Place Like Home

Nestes últimos anos muito se tem falado, muito se tem debatido, tudo se tem dito sobre a nova vaga de emigrantes portugueses, que saem do país para procurar novos caminhos. Mas creio que só nos apercebemos da dimensão real do fenómeno, quando subitamente olhamos para a nossa lista de contactos, e nos apercebemos que estamos meio sozinhos, que os nossos amigos, que os nossos familiares e até os nossos vizinhos partiram... Subitamente somos nós que estamos a menos num país que nos quer fazer crer, que estamos a mais. Mudar de vida, mudar de terra, mudar de mundo......but, There's No Place Like Home.

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Demasiado profundo para ser sexta


Se com o tempo que faz lá fora, hoje mesmo, não conseguimos um minuto de transpiração. Não desesperem! Pois cada dia que vivemos tem uma potencialidade enorme de inspiração, 24 horas, em que cada hora são 60 minutos de respiração criativa e em que cada minuto são pelo menos muito segundos para fazer qualquer coisa útil... e todo o tempo que resta.... é um espaço aberto para deixar entrar a imaginação. 

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Crescer nas creches

Uma das realidades que vivemos nos tempos que correm, é ter dinheiro para alimentar a família, mas não ter tempo para degustar o prazer de ser pai. 
Ter tempo nem sempre significa ter disponibilidade física, significa estar disposto a abdicar de muita coisa para se dar amor, carinho e atenção. Não deixar que os filhos de hoje sejam filhos da creche. 
A realidade é que e sobretudo nos centros urbanos, mais de um terço das crianças portuguesas passa mais de 9 horas por dia na creche, sendo que a esmagadora maioria ocupa parte do tempo a ver televisão ou a jogar computador. É esse o preço que se tem que pagar para ter aquele carro, aquela casa, aquele estilo de vida? É essa a educação e os valores que transmitimos, a geração das tecnologias, dos relacionamentos online? Onde o ser e estar distantes é uma realidade demasiado real e dolorosa para se "cultivar".


sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Ainda por aqui estou

Uma palavra para os fãs e seguidores:(onde é que eles andam?) Tenho andado ausente neste espaço pois vou fazer algumas alterações por aqui, umas pinturas, uns retoques, enfim... mudar algo para continuar como sempre, mas tal como em quase todas as obras em Portugal, demoram e custam sempre mais do que o previsto . 
Por isso enquanto isso não acontece aqui fica uma reflexão de sexta-feira, que também poderia ser de segunda, ou de quarta ou de domingo.
"Quando não temos nada durante muito tempo, desejamos ter alguma coisa, qualquer uma para preencher o vazio mas quando temos finalmente aquela coisa, parece que não estamos satisfeitos e desejamos ter ainda mais e melhor."