quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Noveladas

Entre uma limpeza abrupta no baú das coisas perdidas e uma ida à praia, vislumbra-se um resto de tarde morena, algures, entre as tuas pernas cruzadas, na esplanada da casa do vizinho que gosta de cantar o fado à meia-noite, e os meus cotovelos arqueados a precisarem urgentemente de manicure...
Momentos lúdicos, só eficazmente ultrapassados pelas novelas que assolam o espaço mediático, cada vez mais à hora dos noticiários... é o diz que disse e o que ficou por dizer, porque o que devia de ter sido dito, perdeu-se, algures entre o tempo em que o que é, já não o é. Perceptivél? Claro? Free Port.
É o juiz que foi de férias, o magistrado que engoliu um caroço, os papéis que se perderam nas gavetas amarelas, da nova mobília do tribunal, a testemunha que teve dor de barriga, o advogado que não se deixou corromper, enfim. Uma panóplia de situações que adiam tudo, mais uma vez, agora para o mês das uvas. Confuso? Intrigante? Casa Pia.
Para finalizar, o que mais me impressiona nestes festivais noveleiros, que simpaticamente alguém chama de noticias, é ver os jornalistas perguntarem a um velhote que acabou de perder tudo num incêndio, a casa, os animais, e as reservas agrícolas, como é que se sente...
Bestialmente estúpido, apetece-me dizer.

Imagem: Internet





3 comentários:

patrícia disse...

"Bestialmente estúpido" é verdade, mas faz parte do trabalho de um jornalista. Há momentos mais felizes outros menos para o fazer, mas são obrigados a passar emoções e essas perguntas, embora estúpidas, são necessárias... Quanto às novelas dos telejornais, não podia estar mais de acordo, cada vez menos gosto de ver telejornais... **

ANTIFALSIDADES disse...

É assim uma espécie de "silly season" das notícias...
Bjs

Tulipa disse...

Eu prefiro os festivais de verão cuja temática é a música. kiss

Publicação em destaque

Outono

Incrível!! Ainda ontem o cair da noite banhava lentamente (a passo de caracol) os nenúfares que boiavam no charco verde de águas cálidas, ...