quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

As vicissitudes da língua portuguesa.

As vicissitudes da língua portuguesa.

Ontem não pude deixar de reparar, como o nosso primeiro-ministro se encontrava obstinado, (não confundir com obstipado), em promover a 17º Feira, SISAB PORTUGAL, (Salão Internacional do Sector Alimentar e Bebidas). 
No meio da confusão, no difícil trabalho do prova aqui, prova ali, (como é dura a vida de politico activo), destaca-se uma feirante destemida, que gerou um "micro nano" momento de tensão, (não confundir com tesão), e lhe "enfia", literalmente, um pastel na boca. 
Saboroso ou envenenado, tudo o que o povo esperava é que o pastel pudesse ter algumas propriedades laxantes, pois sempre lhe poderia passar a obstipação (não confundir com obstinação), de continuar a apostar em acções que em nada contribuem, para a evolução da economia, aumento da empregabilidade e melhoria das condições de vida dos portugueses. 
Apenas para espremer mais qualquer coisa, que já não existe, que não funciona, que faz doer e que não quer sair.






quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Para onde foi o Semáforo mais confuso do Mundo? A Catirolas dá uma dica.


Esta semana, foi finalmente retirado o Semáforo mais confuso do mundo.

Apesar de não ser um sinal real, esta obra de arte, que se encontrava no Parque Temático de Chongquing, na China, era uma autêntica dor de cabeça para os automobilistas. 

Segundo fontes anónimas da Catirolas, ao que tudo indica,  o "tal sinal" foi adquirido e está a ser aperfeiçoado, pelo movimento "Que se lixe a Troika", que para além das luzes próprias "da maquineta", promete agora por o semáforo a emitir um efeito sonoro ao som da música emblemática "Grândola Vila Morena", e que, se tudo correr bem, estará já operacional na próxima aparição do movimento, ou se preferirem, num próximo discurso do Governo.


Nota: A segunda parte desta noticia não é real, é apenas fruto de uma imaginação desmedida e de um humor de chinelo, ao jeito da Catirolas.










terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Pipo... volta para casa

Não sei como existem pessoas capazes de abandonar, ou de fazer mal aos animais.

Quando se dá todo o nosso carinho, dedicação e amizade a um amigo de 4 patas, o retorno é algo indescritível. Uma dedicação e uma amizade tal, capaz de superar a de qualquer ser humano... 
O Pipo... é um gato lindo e meigo, raramente sai e se ausenta do quintal, tudo o que gosta de fazer é de caçar, dormir, comer e gosta de muitos miminhos e de muitas festas na barriga!
O Pipo, que nunca se ausenta por largos períodos, está desaparecido faz um dia... o amor, a saudade, a angústia e a preocupação aumenta à medida que o tempo passa; e tudo o que desejo, é que o Pipo volte rapidamente para casa.

sábado, 16 de fevereiro de 2013

A família das formigas!

Infeliz aquele...
 "que sabe, mas que finge não saber". "Que pensa, mas que ignora os pensamentos". Que vive mas que não sabe o que é viver. 
Será que a necessidade justifica tudo? Ou será que finalmente arranjámos uma desculpa, para aquilo que não o tem, nem nunca terá?
Aquilo que fazemos, a forma como agimos perante os outros, a vida e nós próprios, depende apenas da nossa consciência e da nossa vontade...  

Hoje é um dia especial, um dia para lembrar alguém que durante anos fez parte da minha vida e que estupidamente, mais ou menos por esta altura se foi... O legado que deixou, não foram as propriedades ou os bens que provocam batalhas sem fim à vista e desunião entre irmãos... 
Para mim, o que a bela Helena de olhos amendoados deixou, para além da tonalidade do olhar, foi uma panóplia de histórias memoráveis, um infindável número de memórias e uma imensa saudade.
O que guardo comigo dos nossos dias?! Não é qualquer bem material, são lengalengas de ternura, de amor, de amizade e de muita cumplicidade. E para mim... é apenas isso que tem verdadeiramente valor, tudo o resto, materialmente falando, são apenas migalhas para as formigas comerem, antes de se começarem a "comer" umas às outras.


quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

O dia dos Namorados na perspectiva da Catirolas

O amor não precisa de dias específicos.
Quando se gosta de alguém, gosta-se todos os dias, sem que seja preciso um dia instituído pelo consumo, para o provar.
Não vale a pena comemorar um dia, quando se passa o resto do ano com intenções e acções que em nada dignificam o amor.
Na verdade esta data só existe, para animar um pouco o comércio, como o dia da mãe ou o dia do pai.

Se já tiveram essa experiência, este é um dos piores dias para se sair, os restaurante estão atulhados de "casais", é tudo muito vermelho, melancolicamente meloso... e tudo parece fútil, demasiado comercial e desinteressante. 
Um romantismo imposto,  nada genuíno, espontâneo e único, como o verdadeiro amor deve ser.

A Catirolas comemora o dia dos namorados todos os dias, excepto no dia 14 de Fevereiro.





quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Temos "Papa" até Março

Só existe uma noticia capaz de tirar "as politiquices", do governo, e do "futebol" das "capas da imprensa". A Resignação do Papa, que pelo desenrolar dos dias, deve dar assunto, por várias horas, todos os dias, garantidamente até Março. 

A religião é sempre um tema controverso e de difícil discussão, mas um ser humano, é um ser humano com as fragilidades que lhe são inerentes, não é um Deus, nem está acima de qualquer outro ser humano, ou pelo menos não deveria estar. Se alguém acha que não está, fisicamente e/ou intelectualmente, nas suas plenas capacidades, para exercer determinada função, seja de Papa ou não, então é de louvar esta decisão, e muitos deveriam seguir-lhe o exemplo. 
Porque afinal se é verdade que é a crença que nos move, (acreditar em algo), também é igualmente verdade que esta não tem que ser necessariamente religiosa.

sábado, 9 de fevereiro de 2013

A História do Blogue Catirolas

Os blogues invadiram a blogosfera.
Existem de todos os temas para todos os gostos. Mas porque será que toda a gente subitamente se lembrou de ter um blogue? se na verdade isso, na maioria dos casos não tem qualquer beneficio?

No caso da Catirolas, tem uma história, que já vem de um gosto e de um "Dom", se é que se pode chamar assim, pela escrita. 
Sempre tive um certo jeito com as palavras. Nos meus tempos de escola, participei e ganhei alguns concursos regionais de escrita. Mais tarde, colaborei durante alguns anos, com o "Contacto Jovem", do "Correio da Manhã". Com publicações quase todas as semanas, onde os pagamentos, vejam só, eram feitos em livros, com aviso postal, que tinha que ir levantar aos correios. 
Quem sabe e se envolve com as "palavras", sabe que esta é uma relação muito forte.

Criei este blogue, essencialmente para mim porque "sou viciada" na escrita.
Se cometo, por vezes alguns erros? 
Claro que sim, afinal a escrita, como tudo na vida, é um processo continuo de aprendizagem.
Se é importante ter público e saber que gostam de "nos ler"?
Sim, claro que é, o reconhecimento é sempre algo gratificante. Mas mais gratificante ainda é "não ter consciência" da sua verdadeira dimensão e continuar a fazê-lo, sem imitações, sendo igual a si mesmo, porque afinal isto da Blogosfera, é um pouco como o mundo real: Existem aqueles que pela sua genuinidade vivem durante muito tempo, e aqueles que começam muito bem... mas que depois se perdem no caminho. Porque como em tudo na vida, tem que haver realismo e essencialmente tem de se acreditar muito, naquilo que se faz.


sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Já falaste com um amigo hoje?

É tempo de colocar o bolor de lado e de soltar a "Franga", é tempo de esquecer tudo aquilo que se detesta... e concentrar as energias em fazer o que mais se gosta, pois num abrir e fechar de olhos, o momento passa, e quando nos apercebemos, não temos nada para recordar, nem memórias, nem fotografias, nem calor no coração, porque entretanto, estivemos demasiado obcecados em viver essa vida a alta velocidade, que fomos esquecendo que os bons momentos, aqueles que partilhamos com os nossos melhores amigos são aqueles que iremos recordar para o resto da vida. 


quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Carnaval da vida

Se cada vez que nos cruzamos com alguém, na nossa vida pessoal, social, profissional, ou até ocasional, assumimos de uma forma propositada,  ou não, um papel diferente, ainda que com a convicção de que  isso não é verdade, e que somos sempre nós mesmo, sem hipocrisias, falsidades, ou criadores de acções politicamente correctas. Genuinamente únicos, então, não existe o Carnaval.  

As Alberqueras 2013 - Carnaval da Nazaré

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Este país não é para Cães

Pois é, ao que parece não foram só os portugueses, que responderam massivamente à sugestão do nosso querido primeiro-ministro, e que fizeram as malas e partiram para outros países, em busca de trabalho, e melhores condições de vida. 
Agora são os "melhores amigos do homem" que começam também a partir para outras paragens em busca de um lar, e de países onde os "donos", tenham condições e possibilidades de os adoptar. Ideia levada a cabo por uma associação Alemã, "Menschen fur Tierrechte Bayreuth (Pessoas pelos Direitos dos Animais) e pelo Município de Moncorvo, que em conjunto têm ajudado a encontrar uma solução para os cães abandonados nesta zona Transmontana, tirando-os das ruas e evitando assim o seu abate, oferecendo-lhes um lar e uma nova oportunidade de encontrarem carinho, amor e felicidade, coisa, que em Portugal, começa a escassear, com cada vez mais atropelos aos direitos das pessoas e dos animais. Porque afinal este país não é para cães.





sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

O outro lado da Onda Gigante

Como mudam os tempos. 
Antigamente a Nazaré, entre outras coisas, era conhecida, pela praia, pelas gentes e pela famosa lenda de D. Fuas Roupinho. 
Não havia excursão que se fizesse à Nazaré, que não tivesse uma visita obrigatória, ao Sitio, e às marcas do cavalo de D. Fuas Roupinho cravadas na rocha, que o impediu de cair da falésia. 
Agora não há excursão que não queira ir até ao Farol, ver as famosas ondas de 30 metros, mesmo em dias de mar calmo, sem ondas de qualquer dimensão. Já parece uma praga!
O problema é que este fenómeno está a atingir proporções tais, que a Praia do Norte e o Farol do Sitio da Nazaré, não estão preparados para receber tantos carros e tanta gente ao mesmo tempo. Os acessos são maus, estreitos, e não existem estacionamentos nem passeios.
Era importante, tanto como publicitar a terra, criar as infraestruturas necessárias e adequadas a essa promoção. Ou pelo menos já ter feito alguma coisa em termos de acessos, pois este fenómeno já tem um ano. 
De qualquer forma, o mais engraçado deste acontecimento. É ver as pessoas a ocorrerem ao local, quase como uma peregrinação, à espera, de ver uma aparição ou um milagre. (O milagre da onda gigante), mesmo que as previsões nesse dia, quase 90% correctas, apontem para um mar calmo e tranquilo cheio de surfistas na esplanada, a surfarem uma bela cerveja com espuma.

Imagem: Internet