segunda-feira, 29 de julho de 2013

O melhor do Verão...é fazer de cada momento único e intrínseco

O melhor do Verão é estar de férias... mas afinal o que significa a palavra férias? 
O seu significado vai muito para além daquilo que os médicos e os demais instruídos falam: do repouso e da mudança da vida quotidiana, que de certa forma ajuda a restaurar o corpo e a mente. O que não deixa de ser verdade,  mas na sua essência, as férias, como em tudo na vida, dependem apenas de cada um, isto é, da vontade de ser e estar de cada pessoa, daquilo que faz restaurar o "tal equilíbrio, do corpo e da mente" seja num simples passeio de bicicleta, na esplanada com os amigos, numa sesta no quintal, ou numa praia paradisíaca...o fazer de cada momento único e intrínseco.

Até breve... boas férias.

sexta-feira, 19 de julho de 2013

O melhor do Verão é... fazer piadas com a politica!

O melhor do Verão é... viver num país onde os Coelhos governantes, se sentem pouco Seguros. Um dia são as Portas que se abrem, conseguindo-se deslumbrar um rasgo de luz, noutro, são as Portas que se fecham e o GPS politico deixa de funcionar.
O melhor do Verão é... saber que finalmente o nosso Presidente da República, (de visita às ilhas selvagens ao largo dos Açores, que segundo ele, "não fazem parte de Portugal",) encontrou um lugar onde as suas declarações e acções como Presidente de Portugal, fazem realmente todo o sentido.
No mundo animal selvagem, com um claro domínio para os peixes e as aves. 

quarta-feira, 17 de julho de 2013

O melhor do Verão é .... desligar

Por estes dias, as férias avizinham-se e tudo o que queremos por vezes é esquecer. Esquecer o trabalho, a rotina, a crise, os problemas....
Mas se na maioria é isso que queremos, é também isso que na sua maioria não fazemos.
Vamos de férias mas continuamos conectados, continuamos religiosamente a visitar o facebook, o blogue, a olhar para o telemóvel, e não conseguimos viver sem ver os emails, e a televisão. Será possível? Será assim tão difícil quebrar a rede, mesmo naqueles lugares mais recônditos onde ela, espantosamente, já existe?
Aparentemente assim parece, mas se neste Verão conseguirmos efectivamente desligar-nos, então podemos dizer que estivemos realmente de férias.


sábado, 13 de julho de 2013

Uma alfacinha na terra das cenouras

A vida segue na sua maioria das vezes o percurso que talhamos para ela...
Os passos que percorremos, como as histórias ou estórias que vamos ouvindo e contando, são na verdade pedaços que nos toldam o ser e que nos caracterizam. 
Errar e saber aprender com os erros, é uma virtude que poucos admitem, com humildade e nostalgia. 
Viver longe das nossas raízes e tentar criar novas raízes, não é fácil! Aliás é extremamente difícil. 
Nas vilas e aldeias, longe dos grandes centros urbanos, ninguém passa despercebido, a história de vida de cada habitante, é extremamente "bairrista e familiar". A comunidade é muito reservada e fechada em si própria. Os registos da evolução das famílias, o seu natural envelhecimento e amadurecimento, é do conhecimento de todos, e quem não sabe a história é como se dela não fizesse parte. 
Por mais que se negue, existe sempre uma barreira, mais ou menos evidente, essencialmente cultural e social, que dificultam a integração, daqueles que chegaram agora, vindos de outras paragens, e que vieram fazer parte dessa comunidade. 
Naquilo que tenho vivido, das pessoas que tenho vindo a conhecer, algumas absolutamente maravilhosas e extraordinárias, o sentimento que tenho, com toda a sinceridade e humildade. É que no fundo não passo de uma alfacinha*, perdida na terra de cenouras. E a questão que se coloca a seguir é:
Será que a alface vinga, tal como é? Será que se converte em cenoura? Ou será é arrancada da terra à força, como erva daninha, para nunca mais voltar a nascer?


*Segundo uma explicação, o termo advém do facto de na região da cidade de Lisboa a alface ser uma planta abundante, e dada a origem árabe da palavra, ter sido cultivada em larga escala durante o período muçulmano
Esta abundância de alfaces, está também ligada a outra explicação, que atribui a origem do termo ao facto de esta ter sido o único alimento disponível aos habitantes durante um prolongado cerco, mas certezas absolutas sobre o termo parecem não existir.



quinta-feira, 11 de julho de 2013

Casos de policia- por onde andam os carteiros?

A chegada do carteiro para entregar o correio, sempre foi dos momentos mais desejados pelas populações, no campo ou na cidade, ainda que ao longo dos tempos e com os avanços tecnológicos, essa  expectativa tenha vindo a diminuir, tal como o volume de correspondência. A correspondência em papel, ainda é, em muitos casos, o único contacto entre algumas pessoas e o resto do mundo e um dos meios de comunicação mais usados pelas pessoas e pelas empresas.

Passado alguns dias, meses, ou semanas, daquilo a que os "gestores dos CTT", chamaram de reorganização dos serviços, o caos está instalado. Na terra onde resido, a correspondência deixou de ser certa e regular. Os carteiros, são uma miragem e quando aparecem, a correspondência aparece claramente fora dos prazos normais e razoáveis, denotando largos períodos de ausência e com atrasos significativos. Não há nada que o justifique, nem o momento que se vive actualmente, nem a conjuntura económica, nem a crise, nem os tais avanços tecnológicas, mas a continuar assim, este serviço tão antigo, estará condenado à extinção.
A única explicação para este problema, e ignorando a "gestão zelosa" dos Administradores dos CTT, só pode ter haver com algum caso de policia:. Alguém anda a raptar os carteiros e a ficar com as nossas cartas... assim quero acreditar.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

O melhor do Verão

O melhor do Verão, com humor, é sem dúvida ver pessoas (homens e mulheres) que naturalmente vestem o tamanho XXL, tentarem vestir um bikini, de tamanho "S". 
É não poder ir de férias, não por causa da questão do trabalho, mas pela falta dele, e ver os "nossos amigos", publicarem as fotos das suas férias, no Facebook, ainda que em alguns casos, sejam apenas fachada para meter inveja de uma vida "aparentemente perfeita", mas muito distante da realidade.
Mas o melhor do Verão mesmo, é conseguir tirar proveito das coisas boas e positivas, e conseguir com pouco orçamento, umas férias de sonho em Portugal, pois caso ainda não tenham reparado, o nosso país cheio de pessoas extraordinárias é um lugar único e maravilhoso, haja talento e vontade para descobrir, desfrutar e preservar.

Boas férias.



segunda-feira, 8 de julho de 2013

Amizades coloridas por colorir.

Por vezes são nos pequenos momentos, nas pequenas coisas do dia a dia, que se vê, que se sente, quem verdadeiramente faz parte da nossa vida, ou quem pelo contrário, é apenas mais uma passagem nesse curto caminho, onde os interesses pessoais prevalecem sempre, e onde a amizade é uma simples palavra,  com significados tão diversos e complexos que todos acham que conseguem dizer e compreender, mas onde a verdadeira essência e o suco do seu significado,poucos conseguem atingir e saborear verdadeiramente.


sexta-feira, 5 de julho de 2013

Uma tela viva - Cortejo Etnográfico de Valado dos Frades

É tempo de férias, como se percebe pela diminuição de intensidade de frequências dos Blogueiros e de outros "agarrados", da Net, mas é nestas alturas que os eventos culturais das terras mais distantes, e menos conhecidas no mapa, ganham relevo.
Os Cortejos Etnográficos, são uma forma interessante de dar a conhecer os trajes os usos e costumes das populações e de aproximar culturalmente gerações.
Em Valado dos Frades realizou-se, no dia 30 de Junho, um desses cortejos, mas com a particularidade de o último ter-se realizado em 1991, o que permitiu um renovar de gerações, onde os pais que desfilaram no cortejo em 1991, viram agora os seus filhos e netos, desfilarem, muitos com os fatos que eles próprios tinham usado nesse primeiro desfile. 
Com raízes fortemente ligadas à terra e à agricultura, esta pequena Vila, com a ajuda de voluntários, das colectividades e de 200 figurantes, provou que com pouco se consegue fazer muito, haja vontade e determinação. 
Esta é sem dúvida a melhor forma de se aprender a história cultural e social de um povo e de uma região, uma tela viva de sons, cores, cheiros e emoções, longe dos grandes centros de protagonismo e que faz parte desse Portugal, que tantas vezes desprezamos e desvalorizamos.





Imagens: Gentilmente cedidas por Ana Cristina Santos

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Força Portugal

Por vezes queremos tanto uma coisa, lutamos por ela, e quando a tal oportunidade finalmente surge fruto do nossa trabalho, por momentos, parece que ficamos confusos, desorientados, e até de certa forma preocupados, pondo em causa tudo aquilo que somos e a capacidade que temos, quando o que deveríamos fazer era unir esforços e energia para justificar a aposta, a que fizeram em nós, mas mais importante ainda, a aposta e confiança que nós fizemos, em nós próprios.

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Lifting politico - " O Mal Amado"

Vítor Gaspar, o Ministro das Finanças saiu hoje do governo. Se existisse um cognome para os ministros, como existia para os Reis de Portugal, creio que o seu seria  "O mal amado".
Este é um ministro que fica para a história, como alguém que entrou até com alguma simpatia, provavelmente por não ser politico activo, mas que depressa revelou ter, um discurso pouco fluido, muito monocórdico e com  grandes lacunas ao nível da comunicação. 
Dotado de uma inteligência acima da média, demonstrou ser um excelente teórico, mas simultaneamente pouco eficiente nas medidas que foi implementando e persistindo em acções que demonstraram, por diversas vezes  na sua aplicação prática, não serem as mais adequadas, ao país e ao momento. 
Esta saída não significa que irá existir alguma alteração de estratégia governamental, nesta pasta tão complicada, temo que alteração seja apenas mesmo mais uma estratégia de "lifting politico", porque afinal o que "é preciso que algo mude para que tudo fique na mesma".*

*do escritor Giuseppe Tomasi, príncipe de Lampedusa