terça-feira, 30 de novembro de 2010

O apelo

Enquanto esta onda de solidariedade invade o país, enquanto se multiplicam os peditórios para tudo quanto é associação e se triplicam os anúncios que apelam desesperadamente ao consumo das carteiras, mais ou menos vazias, de seres mais ou menos inteligentes. Muitos são aqueles que, nesta época festiva, não hesitam em trocar o seu animal de estimação por um brinquedo inanimado.
Não deixe o seu amigo tornar-se num sem-abrigo.


Foto: Do báu lá de casa.
"Canina" adoptada com sucesso.


segunda-feira, 29 de novembro de 2010

A época...

O que a época Natalícia tem de bom são os encontros de amigos em jantares e almoços caseiros de dias longos e de Invernos quentes, (mesmo em dias como o de hoje, em que o boletim meteorológico e os nossos ossos nos dizem o contrário)... E a certeza absoluta de uma distância que fica apenas na vontade de juntar os trapinhos, com um simples abrir de janela.

Imagem: Kikinha e Pipinha

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Reunião de sexta-feira

Sexta-feira (preciso de perder a mania de estar sempre a lembrar que dia é hoje), antes da reunião pouco produtiva do final de semana, em que as cabeças pensantes se encontram dispersas entre noites de acompanhantes de luxo para seniores, capazes de fazer levantar o pau mais jovem, e antes que os chefes se rebolem nas cadeiras com as suas barrigas eloquentes capazes de convencer um talhante a matar um porco em noite de vacas magras, só com um gole de Vodka Aspegic, fala-se de austeridade. Desse espaço livre de experimentação, de múltiplas volúpias potenciadas por grandes lugares, em que não cabem aumentos, subsídios, ou outras regalias da mesma família. As horas passam sem grande avanço intelectual, mas com muitos olhares cruzados e pernas mortas penetrando no campo do inimigo.
Finalmente eis que alguém se lembra de contar uma piada sem piada, e o ambiente aquece logo de seguida com duas ou três gargalhadas cínicas de quem gosta de lamber o outro até se abrirem fendas eróticas num corpo que não lhes pertence.
Dois murros na mesa, lembram a todos quem é que ainda manda ali e antes que o cigarro aceso salte para a mão como sinal de respeito pelos não fumadores, há alguém que tem uma brilhante ideia:
- Faz-se um mapa em excel com várias linhas e colunas.

Antes do orgasmo final o grupo desmobiliza-se.


Imagem: Internet



quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Sugestão de fim-de-semana à quinta-feira

Nada melhor do que começar o fim-de-semana à quinta-feira, depois de uma greve geral pelo meio, depois das notícias tristes e macambúzias, que embora retratem o panorama económico-familiar (porque esse é que interessa), deste país, não deixam ao mesmo tempo de ser o reflexo de uma mentalidade que tem mesmo que mudar de vida. Caso ainda não tenham reparado "O Universo" não está contra nós, o que está a acontecer não é fruto de má sorte, o que temos é que encarar tudo como etapas e obstáculos que na realidade são estímulos positivos, e que nos devem fazer lutar pelo desenvolvimento do país, lutar pela nossa vida...Enfim mas "economitiquices" ficam para os especialistas no assunto que não sou eu.

Contrariando a tendência negativa, aqui fica uma como sugestão para o próximo fim-de-semana, uma visita ao festival de Arroz Doce e Doçaria Regional de Torres Novas, que vai decorrer no pavilhão de exposições da Nersan, e que conta para além de feiras do livro, com ranchos folclóricos, grupos corais e com o habitual concurso do melhor Arroz Doce do Festival.
Sinceramente nunca fui ao festival, mas tenho amigos que já lá foram e outros que lá trabalham e que dizem bem, por isso o divulgo aqui.
Se conseguir ir lá desta vez prometo na segunda-feira dar a minha opinião sobre o assunto.
Boa quinta.



quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Sem greve

Para iniciar o Blogue de hoje às 17h00 da tarde, foi preciso furar a greve da lentidão informática e dedilhar sem parar antes que fosse tudo abaixo novamente.
Num dia como este exige-se alguns momentos de reflexão.
Onde estava eu na primeira Greve Geral? ou que idade é que tinha? 
Sei que queriam saber mas eu faço greve a essa questão, não só porque não me recordo mas porque não é relevante para o caso, afinal eu não sou nem pretendo ser o centro do mundo.
Mais importante que tudo, das dificuldades; desta luta como a de hoje; das politiquices; da corrupção; do saco azul, cor-de-rosa, ou até do saco vazio, como o da maior parte das pessoas; dos assuntos que interessam; daqueles que não prestam mas que adoramos comentar, e outras tantas questões que davam páginas e páginas de letras. Mais importante que tudo isso, é não deixar morrer a vontade, não deixar acabar o amor na despensa, não esquecer de quem somos em detrimento de quem queremos ser, e principalmente não fazer greve à amizade, mesmo que por vezes a distância física seja mais forte, não esquecendo que no coração existe apenas um caminho.


Imagem: Internet

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Terapia do Natal

Quando olhamos para o Natal vemos que existe quase sempre um ser feminino por detrás das suas barbas, renas e afins.  
80% da população que tem a àrdua tarefa das compras de Natal, são mulheres. Seres altamente organizados, que minuciosamente planeiam tudo até ao último detalhe: a decoração, as prendas, a ementa de Natal, a operação limpeza depois do Natal. Tarefas que por vezes deveriam ser divertidas e até partilhadas (daí o espírito de Natal), mas que se tornam actos stressantes, obsessivo compulsivos levando-as a procurar um terapeuta que as ajude a ultrapassar os problemas que "acham que têm" na a sua relação com o Natal, sendo que normalmente as suas expectativas é o oposto do que necessitam efectivamente para que esta relação ganhe frutos.

Então o que fazer?
Comecem por fazer um lista de nomes a quem dar prendas, incluindo as que vão mesmo dar, as que vão ser retiradas da lista, e as que eventualmente podem vir a entrar nela... aproveitem as prendas que receberam o ano passado e que várias vezes estiveram para ir para a reciclagem e ofereçam-nas a uma dessas pessoas (atenção para não darem a quem vos deu); façam as vossas compras ao longo do ano, especialmente em altura de saldos, poupam tempo e dinheiro; envolvam as pessoas da vossa casa nas decorações da casa, mesmo que seja preciso elogiar o mau gosto delas. Durante os meses de Novembro e de Dezembro sejam uma desgraça na cozinha, só assim se poderá garantir a compra da ementa de Natal no restaurante do bairro e evitar as horas desgastantes na cozinha. Finalmente quando for altura das limpezas de Natal, finjam que vos deu uma dor qualquer, assim não muito grave, mas o suficiente para que tenham que ficar a relaxar no sofá.
Só espero que as pessoas da minha vida não leiam este post… ou estou feita para o resto do ano.

Imagem: Internet

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Dicas de Natal. Já!!!!

Ainda falta mais de um mês para o Natal... mas como todos sabem (e pelo menos nas empresas, que começam a delinear estratégias comerciais, logo a seguir ao regresso às aulas), o Natal tem tendência a começar cada vez mais cedo. A ideia é desde logo incutir o espírito do consumismo na mente do consumidor.
Não tenho ideia de ter comprado nos últimos anos papel de embrulho para as prendas de Natal, esta foi uma das coisas que aboli da minha vida de consumidora.
O que faço?
Normalmente tento abrir as prendas que me oferecem com cuidado de modo a reciclar o papel e os laços dessa prenda para outra prenda, também reciclo trapos velhos que com um pouco de cola e imaginação fazem as delícias de qualquer prenda, que fazem fila à porta da minha casa só para terem a oportunidade de caber dentro desse embrulho. Para finalizar, se repararem quase todos os hipermercados disponibilizam papel gratuito e laços para as prendas de Natal, todos sabemos que não é um papel fantástico, mas o que conta não é o embrulho, e sim a intenção inerente à quadra Natalícia.
Por isso usem a imaginação dediquem um pouco de tempo e carinho a personalizarem os presentes e não gastem dinheiro nem comprem coisas só por comprar. Afinal o Natal não é nada disso.


Imagem: Do Blogue Pura Inspiração que ensina a fazer embrulhos com papel reciclado.
 http://fotomagia-purainspiracao.blogspot.com/2010/11/sacolas-de-presentes-recicladas.html


quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Vende-se... passadeira vermelha

Vende-se a passadeira vermelha que o Papa Bento XVI pisou, em Vila Nova de Gaia aquando da sua vinda a Portugal no mês de Maio, custa apenas (no site Custojusto) 5 mil euros.
O proprietário já veio dizer que não a colocou à venda pelo dinheiro e sim mais por brincadeira, dizendo ainda que se não a vender a vai doar a uma instituição de caridade...
Digamos que também será difícil arranjar uma utilidade prática para uma passadeira com 20 metros.
Não creio que as casinhas da maioria dos portugueses tenham tamanha dimensão... enfim é esperar para ver.
Imagem: Custo Justo

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Mude a sua vida, vá de comboio... mesmo que ele não passe no seu caminho

Mudar de vida é sempre algo que está ao alcance da nossa vontade. Claro que falar é fácil, já agir é outro departamento.
Atenta aos temas que a vida nos coloca na mesa, dei por mim com os olhos postos num Outdoor perto de Alcobaça, com a nova campanha da CP, onde a linha do Oeste é das piores linhas em termos de periodicidades e onde a expressão ver os comboios a passar é capaz de adormecer qualquer um.
Eu acho esta campanha bastante útil e institucional. É muito importante passar mensagens que incitem as pessoas a irem de comboio, porque este é sem dúvida um meio de transporte muito prático e eficiente. Eu mesma durante alguns anos na minha vida, o utilizei para me deslocar, mas desde que me mudei para a província (leia-se como província a linha do Oeste), nunca mais o utilizei porque realmente perdia imenso tempo e qualidade de vida.
Creio que se esta linha tivesse a periodicidade que se desejaria pelo menos até Lisboa, as condições de vida das pessoas que em redor deste trajecto residem ou trabalham, iria sem dúvida melhorar, mas já que as terrinhas são fácilmente esquecidas, aconselharia os Gestores da CP a não gastarem dinheiro na colocação de publicidade, onde ela não tem qualquer efeito prático, a não ser que  tenham intensão de mandar os comboios para aqui. Uh! Será?? 


sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Esquecimento

Por vezes vejo pessoas esquecidas na paragem do autocarro à espera de alguém com quem conversar
O esquecimento faz-nos meditar, faz-nos acordar de noite sentindo que perdemos algo, que nos falta um pedaço na fatia do bolo.
Seja por vontade própria ou por distracção cerebral (e excluíndo as doenças associadas à perda de memória); esquecemo-nos de tanta coisa boa na nossa vida, de tantas pessoas que nos querem e nos fazem bem, que por vezes se confunde, este estado, com ingratidão ou egoísmo.
A vida é feita de momentos e esquecer por esquecer não é problemático, desde que  o esquecimento não se torne a nossa vida e o lembrar apenas esse breve momento. 
 
 
 
 
 

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

O amor é...

Uma imagem vale mais que mil palavras de amor.
Ao longo da minha vida, já tinha sentido por diversas vezes o entusiasmo deste nobre sentimento ... snifado através dos poros da minha pele morena e sedosa as dedadas do carinho e da dedicação... mas nunca tinha sido presenteada desta maneira.

Foto do Baú lá de casa:
 Presente da Pipinha pelo carinho e dedicação da sua dona.
NÃO É UMA RATAZANA, são ratos do campo, o pai e os seus filhotes.
Claro que nesse dia o almoço e o jantar ficaram garantidos...  

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Endomarketing

Mais um dia de vento e de chuva, mas nada se compara aos desafios diários (laboralmente falando). Enfrentar o mar com ondas de 8 metros não é para todos, isso, e procurar durante meia-hora um lugar para estacionar o carro, já completamente ocupado pelas gaivotas matreiras que voaram depressa ao mercado em busca do peixe fresco que veio de madrugada deitado nas pranchas de surf... e enquanto ainda resta uma nesga de espaço para a imaginação e para a elasticidade do pensamento, entre reuniões pouco produtivas, mas muito úteis em termos de ocupação de espaço laboral... talvez ainda haja tempo para absorver a frase introdutória do manual de utilização de regras de contornos de rotundas, muito útil para quem quer avançar na carreira sem esbarrar com aqueles colegas que nos provocam urticária intelectual... Enfim, falar mal não é uma lei... tudo depende da estratégia que se quer utilizar sem esquecer que o que passa para fora da empresa, em primeiro lugar o reflexo do que se passa lá dentro. Daí a importância dos Recursos Humanos e a aposta na sua formação:

Glossário
Endomarketing (Endo - para dentro) Marketing para dentro ou também intitulado Marketing Interno.
Digam lá se o "Post" de hoje não foi produtivo?
 
Imagem: Interne





segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Perder a paciência

Entre uma refeição e outra, existe sempre quem procure alguém com a mesma constituição física para trocar experiências tectónicas... e se não fosse um absurdo talvez ainda estivesse a fazer alguma coisa com pouco peso e muita medida, à hora de expediente, mas prefiro deixar esse "peru menor", para quem tem realmente altura para…, isto é, mais de um metro e meio e uns pezinhos.

Umas das imagens de marca da Inglaterra são os famosos guardas britânicos, de chapéu alto e peludo que parecem estátuas às entradas dos palácios, e que olham pacientemente para os turistas que os admiram e que os atormentam com as fotos da praxe.
No entanto, ao que parece no passado fim-de-semana, um desses guardas, quebrou essa postura irrepreensível gritando com um grupo de turistas alemães.
Segundo o jornal «Evening Standard», tudo aconteceu no Palácio de St. James durante mais uma daquelas invasões turísticas: «Afastem-se do guarda da rainha», gritou de metralhadora na mão, quando dois rapazes faziam aquela habitual pose a seu lado para mais uma fotografia chata.

Enfim… o que dizer, o pobre homem perdeu a paciência, foi isso ou então sonhou com o filme das contas públicas, parte 3.1, versão totalmente produzida e realizada em Portugal.
QUE MEDO!

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

O embalo

Já passou.
Tantos planos de manhãs submersas pela água do mar, e eis que veio a chuva. Tanta vontade de sair e correr com as pernas no ar, num lugar onde os pássaros se aventuram, e eis que veio o vento.
O pior do piropo já passou, a partir daqui é sempre a somar: as contas da casa versus orçamento do Estado que vai e vem de um lado para o outro, como se o Estado estivesse a embalar o berço dos seus enteados...e sem esquecer que os enteados somos todos nós.
Próxima crise? 36 anos.

Imagem: Internet