segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

O sorriso


Por vezes, quando pensamos estar no fundo do poço à espera de uma gota de água, eis que surge uma chuvada de beijos, que nos ergue e nos tira desse mundo, onde a "invejite" espreita a cada canto e a amizade se assume meio perdida, na distância,  com a desculpa do tempo. O que se segue depois? Apenas um passeio numa "Ginga", num dia de frio, vento e de chuva, com banhos de lama, de suor e de alma, capazes de erguer um sorriso nesse dia que amanheceu cinzento e adormeceu azul.

Foto: Uma Ginga Especial


quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

A Inquietude

Todos já ouvimos falar que os artistas vivem num mundo à parte, porque têm a capacidade de se abstrair da realidade de uma forma que os comuns mortais não são capazes de o fazer. Ora um exemplo disso, é o escritor chileno de 72 anos, Eduardo Labarca, que resolveu urinar no túmulo do colega, escritor de lingua castelhana, Jorge Luís Borges. Segundo informação do jornal britânico "The Guardian", esta foi a forma que  encontrou para lhe prestar uma homenagem. A fotografia do acto, vai correr mundo na capa do próximo livro que se intitulará de "El Enigma de Los Módulos".

Homenagem ou não, a realidade é que esta não deixa de ser uma forma inteligente de fazer publicidade a um livro que, pela capa, já é notícia por todo o mundo. E apesar de este não ter efectivamente urinado e sim de ter simulado tal acto, com a ajuda de uma garrafa de água,  é nojento e levanta polémica, de uma maneira tão eficiente que desperta a curiosidade dos mais ou menos aficcionados pela leitura.

A minha inquietude vai para o risco desta moda pegar e de termos num futuro próximo, por exemplo, a Margarida Rebelo Pinto a fazer chichi no túmulo da Sophia de Mello Breyner, pela promoção do livro Não Há Coincidências Parte Dois. Conseguem imaginar?

Imagem: Internet





quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Filosofias

Sim é verdade, podes não acreditar, mas apesar de tantos anos de experiência de relacionamento social, ainda assim fico incrédula com as coisas que vejo, que oiço, que sinto e que até me sujeito por vezes a passar, porque afinal as experiências mesmo as más fazem parte da vida.
Inúmeras vezes digo para mim própria Oh! Rosa arredonda a saia, apesar de 90% do meu vestuário de Inverno se resumir a calças de ganga, aquelas que visto, as que já vesti e estão "demodé", e aquelas que ainda anseio vestir um dia, não fosse afinal a moda, um pouco como a própria vida, onde um dia estás "In", e noutro estás "Out", a questão é saber como te sentes hoje e como estás a lidar com isso.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Rescaldo

Hoje é um dia alegre para Portugal (bem alegre não é uma palavra apropriada), é um bom dia, porque hoje Cavaco Silva não entrou para a lista dos desempregados do IEFP, uma vez que foi reeleito. Por sua vez fico intrigada em relação aos restantes candidatos, o que será que vão fazer agora? Eu recomendaria a abertura conjunta de uma rede de ginásios, espalhados pelo país, dedicados à modalidade de boxe política.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Formação Profissional

Enquanto a campanha para as presidenciais decorre idiotamente de uma forma normal, outros amigos do alheio dedicam-se à aprendizagem: aprendem novas técnicas de assalto, formas de escaparem de carrinhas celulares recorrendo a gás pimenta e aprendem a soltarem-se sozinhos de correntes e algemas. Tudo módulos inseridos num daqueles cursos subsidiados pelo estado, de novas oportunidades e que visam a integração de pessoas em idade laboral, independentemente da forma de subsistência. Curiosamente, o mesmo curso que é dado às forças policiais, mas na vertente de combate ao crime, onde aprendem: a dar empurrões, a usar o cassetete e outros instrumentos de defesa contra a liberdade de expressão, táctica muito usada em manifestações. Neste curso tivemos a oportunidade de ver uma acção de formação em contexto real. Ontem, lá para os lados de São Bento, onde decorria uma manifestação sindical contra os cortes laborais; os novos policiais comprovaram estar aptos para a acção, os empurrões foram a táctica escolhida e a mais usada, uma eficiência tal que levou mesmo à detenção de dois dos perigosos manifestantes. Muito bem!

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Discos pedidos

Quando nos deixamos levar pela fantasia e fantasiar é bom, arriscamo-nos a viver uma vida que não é a nossa, mas talvez valha a pena correr esse risco se isso nos permitir pelo menos esboçar um sorriso de vez em quando.

E a pedido de vários parentes...

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Considerações sobre presidênciais

Não me recordo de uma campanha presidencial ter tantos candidatos, se calhar é falha de memória da minha parte, ou ignorância, mas acho que isto é o reflexo do que se passa no mundo laboral, escassez de trabalho e excesso de pessoas que o procuram, é a eterna lei da oferta e da procura, aqui com outro tipo de objectivo, "servir o país" claro, que outro? Esqueçam os valores, as regalias, os tachos, as reformas, enfim... Isso não é nada relevante. E o difícil vai ser mesmo escolher, já viram o conteúdo das propostas dos candidatos. Manuel ataca Cavaco que por sua vez ataca Nobre e assim sucessivamente, o que safa isto tudo é que pelo menos existe um "não candidato" Madeirense com sentido de humor, que faz campanha num carro funerário e que se intitula de "Coelho". E não há-de o pobre tio Alberto João ter tido um ataque cardíaco! Só podia.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Reflexão sobre a crise

Estou longe, a crise não me afecta. Não estou à procura de ajuda externa, procuro essencialmente força interna.
Acordo todos os dias incrédula com o que leio, com o que vejo, com o que se passa à minha volta e até dentro de mim, e não me refiro apenas ao roncar da barriga quando tenho fome. Não.
Vivo uma despreocupada preocupação.
Não olho para os conselhos do “professor barafunda” para ver como me vai correr o dia e não acredito na incapacidade desta multidão à procura de uma oportunidade para vencer na vida, no recrutamento e selecção de três segundos, tempo que demora a saber que o escolhido para o cargo, é o padrinho do afilhado, que afinal é o primo do tio, que neste momento está a estudar para ser Doutor de algo indefinido, mas sempre com alto valor, quando ainda à tanta terra por cultivar e casas por habitar e corações para curar.
Sem saber muito bem se realmente é preciso destruir para construir. Acredito nas pessoas, no capital humano, o único capaz de resolver os problemas criados um pouco por todos nós, não apenas pela classe política, porque é fácil atirar a culpa para o vizinho que faz muito barulho à noite, só porque não ouvimos o nosso próprio ruído e isso não é nada útil nem bonito.
Acredito na amizade em quaisquer circunstâncias, independente do tempo ou do espaço de uma relação e amo os animais, admiro a sua capacidade simplista de serem apenas aquilo que são. Leais e verdadeiros.


Imagens: Internet


terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Saca-Rolhas

É curioso ver por estes dias, como as coisas mais simples e banais da nossa vida podem algum dia virar um filme de terror.
Segundo o dicionário o saca-rolhas é um instrumento utilizado para sacar rolhas de garrafas. Normalmente possui uma espiral de metal que vai penetrar na rolha e uma pega que serve para a mão imprimir um movimento circular ao instrumento.
Primeiro penetra-se a espiral na rolha, depois puxa-se o saca-rolhas, de forma a que posteriormente a rolha fique presa à parte espiralada, com jeito tentando não parti-la a meio, coisa que acontece frequentemente com a minha pessoa.
Conseguem imaginar outra utilização a dar a este instrumento?
É certo que cada vez mais as garrafas tendem a ter outro tipo de rolhas de abertura fácil, fazendo-o cair em desuso, e também é certo que, e depois das notícias da morte trágica de "Carlos Castro", nunca mais iremos olhar para o saca-rolhas da mesma maneira! E imaginar que consegue sacar outras coisas para além de rolhas... Medo!

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

A amizade para lá das diferenças

Parece que finalmente consegui voltar a escrever algumas linhas e tanta coisa entretanto se passou, porque surpreendente o mundo não ficou quieto.

Tanta coisa se passou entretanto que nem me apetece estar para aqui a retrospectivar este inicio de ano, por isso nada melhor do que começar com uma notícia que nos faz pensar na amizade... faz pensar que por vezes nós humanos, seres pensantes, não conseguimos colocar de lado as nossas diferenças, os nossos preconceitos, nós não somos capazes mas os animais sim.

Uma notícia tirada do jornal britânico "Daily Mail" conta a história insólita de uma amizade entre um gato e um peixe. «Kaiser» um gato de 4 anos, visita frequentemente o peixe «Fishy», que o recebe sem medo. Estes dois seres maravilhosos são amigos e não conseguem viver um sem o outro.

Fotos e noticia tiradas do jornal "Daily Mail"




quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

O caos

Novo ano, vírus novo, é caso para dizer que este começo não tem sido fácil... hoje é o segundo dia que consegui entrar aqui na Blogosfera. Problemas informáticos aparentemente com solução pouco segura e sem grande horizonte à vista...Por isso meus queridos amigos e leitores. Não sei quando voltarei a conseguir vir aqui escrever, nem sei quando poderei por a leitura dos vossos blogues em dia... seja como for até breve.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Novo ano

Já estamos em 2011 diz o calendário. Depois de uma semana atribulada com muitos afazeres de cumprimento de agenda de final de ano, é tempo de voltar aqui.

Não compreendo porque razão iniciamos o novo ano com fogo-de-artifício, festa, ou champanhe.
Na prática tudo se explica porque um novo ano traduz o renascer, o começo de algo, e isso é motivo para celebração, mas se olharmos para a realidade da temática isso também significa que vamos ficar um ano mais velhos. Enfim... de qualquer forma serve como desculpa para sermos um povo feliz pelo menos um dia do ano, antes do coma alcoólico tomar conta de alguns de nós e de passarmos o seu inicio numa cama do hospital...ou de pagarmos uma pipa de massa numa festa de arromba, e de no dia seguinte, pedir emprestado ao amigo, à mãe, ou ao crédito amigo, algum dinheiro para sobreviver o resto do mês. Mas para aqueles que realmente foram conscientes na sua passagem de ano, em todos os sentidos, e que hoje começaram logo cedo a correria para o trabalho, para o ginásio, que marcaram na agenda dias de Ramadão e dietas de emagrecimento, planos de estudo, ou projectos pessoais e profissionais. Para aqueles que tomaram a decisão de mudar de vida todos os dias dos próximos meses, e para todos os restantes que continuam ano após ano iguais a si mesmos. Feliz ano novo.


Foto: Báu lá de casa passagem de ano 2010/2011