sexta-feira, 25 de outubro de 2013

A crise do pós 30 pré 38.

E se subitamente começassem a surgir ideias, propostas, projectos de vida que não dessem mais espaço para se ter espaço? E se subitamente aquilo que começou por ser um passatempo de vida, um escape, uma fuga aos dias menos bons e às noites menos quentes, se tornasse em algo impossível de controlar?
Num corpo e numa mente habituados a saciar com imagens, sons e cheiros gostos de um mundo que é de cada um e em que cada um faz parte desse todo, que é o mundo, é muito difícil satisfazer e não serão as migalhas de dias felizes a ter a capacidade de encher o pote de bolachas chocolate, principalmente se não houver alguém que as vá fazer no fogão a lenha, com mais de 60 anos, da "noventona" querida, Avó Maria. 
Se subitamente o improvável acontecesse, provavelmente alguém estaria a ter uma crise de "sonhite" aguda, ou um claro ataque de crise pós 30 a caminho dos 40. Provavelmente o Improvável.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

O fenómeno da reprodução das vacinas.

A Direcção Geral de Saúde, veio hoje em comunicado dizer que não há falta de vacinas nos centros de saúde, apenas momentâneas e pontuais rupturas de stock . 
Ora, nestes últimos anos tenho tido o privilégio, para o o bom e para o mal, de acompanhar as dificuldades que existem ao nível das regiões, longe dos grandes centros de (in)decisões, onde nada se faz mas tudo acontece. 
No centro de saúde da minha área de residência, as vacinas para a gripe não existem em número suficiente para satisfazer as necessidades da população. Faz quase um mês, que as poucas que haviam já foram dadas. Mas como diz a sub-directora geral de saúde Graça Freitas: a população não tem que ficar alarmada, nem ansiosa, pois existe uma grande janela de oportunidade para levar a vacina. O problema é que as doenças não esperam e no caso da população mais idosa, a tal janela, facilmente se torna uma porta aberta à enfermidade. O que não deixa de ser curioso é que a escassez das vacinas no centro de saúde, parecem contrastar com a sua abundância, na farmácia mesmo ao lado, onde estas parecem reproduzir-se sem qualquer problema o que não deixa de ser no mínimo estranhamente fenomenal. 

Imagem: Internet



quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Nostalgias

O tempo é algo que é inevitável e que não dá para contornar, pois quando damos por isso, já é mais um aniversário, já é Natal, já é um novo ano.  E a vida será que é a mesma? Apesar das notórias diferenças próprias de quem vai envelhecendo, cada vez com menos dignidade. Provavelmente!
Mas a vida não é só crises e maus dias,  a vida é feita daqueles insignificantes significados, que são como as linhas do Oeste, onde vai passando um comboio de tempos a tempos, mas que se o soubermos apanhar no momento certo, conseguimos finalmente chegar a algum lugar. 


segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Portugal Outlet com cidadãos Low Cost.

Dizem os entendidos na matéria que em épocas de crise, surgem oportunidades de negócio... e é realmente verdade, mas não são só novas oportunidades que aparecem, aliás, o que muda por vezes é apenas a forma como vemos as coisas, a perspectiva com que nos colocam determinada necessidade. Mas no meio de todo este "marketing psicológico", existem duas palavras que se destacam: Low Cost e Outlet. Por onde quer que se caminhe existem negócios, bens, viagens, casas, carros,... low cost, e campanhas de outlet...todo o ano em qualquer lugar. De tal forma que até o governo, parece ter adoptado estes conceitos aquando da aplicação das medidas de austeridade. Um olhar mais atento mostra que os serviços prestados pelo estado, estão cada vez mais outlet, e a mão de obra, as pessoas, os cidadão de Portugal são cada vez menos pessoas e mais "coisas transaccionadas" a preços low cost.


sexta-feira, 18 de outubro de 2013

A pobreza

Ontem foi o dia internacional para a erradicação da pobreza, em Portugal, existem cada vez mais diferenças entre aqueles que deitam comida para o caixote do lixo e aqueles que a procuram lá dentro, sendo que alguns dos que a deitaram fora, são também aqueles que agora a procuram. 
As famílias que vivem no limite, em que pagar todas as contas ao final do mês é uma batalha dura de conseguir, são cada vez mais, e muitos dos filhos com 30 e 40 anos, regressam agora às origens, ao quarto vazio na casa dos pais, com a adjuvante de levarem também eles a família deles às costas, à procura de um "abrigo", que vai muito para além da fome de comida e isso é algo que se torna difícil de alimentar. 

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

A ausência da Catirolas

Não sei se por estes dias notaram a ausência da Catirolas, talvez não muito.
Bem a verdade é que não, não fui trabalhar para outro país e não entrei em enriquecimento técnico, aliás duvido que o meu vencimento nas próximas 100 vidas, tenha sequer capacidade de atingir qualquer patamar digno desse nome. Muitos dirão pelo menos Catirolas ainda tens vencimento, ainda tens trabalho, ainda vais fazendo um pouco do que gostas, ainda não te cortas nas compras do supermercado e ainda consegues com o pouco, que na verdade até é muito comparado com muitas famílias, ser feliz.
Então e afinal o que aconteceu para esta ausência? A única certeza, é que algo se passou, informaticamente falando, que me impediu de conseguir escrever, depois disto existe um ínfimo número de possibilidades, ou o blogue foi vitima de censura autárquica pós-eleições, ou provavelmente o "ministro dos negócios estrangeiros", resolveu provocar-me para que a nossa relação fosse quebrada. 
Seja qual for a razão, estamos de novo de volta ao activo.


segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Lugares perdidos a precisarem de ser achados

Por vezes, nos passeios que fazemos de Bike, ao fim de semana, com mais ou menos pedalada persistente acabamos por descobrir este ou aquele lugar, que de outra forma, nos passaria completamente despercebido. Locais completamente perdidos, no meio das povoações, também elas cada vez mais perdidas e isoladas, deslocadas dos meios administrativos, onde curiosamente se tomam decisões sobre as suas vidas, muitas vezes por quem nunca sequer lá esteve.
Esses lugares a precisarem de ser urgentemente achados por outras pessoas, encerram pequenos recantos, dignos de qualquer roteiro. Um verdadeiro postal ilustrado, de um Portugal, meio perdido, mas que existe e que é real.

Fonte Santa: Castanheira, Alcobaça 

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Para a minha bisavó Luísa

Quem me conhece e acompanha o meu blogue desde o inicio, sabe que não gosto de dias instituídos. Mas às vezes é preciso lembrar.

Hoje é o dia internacional do idoso. Em Portugal, os mais velhos, assumem cada vez mais um papel preponderante na nossa sociedade, não só pelos valores ou experiência de vida, mas porque também são cada vez mais aqueles que tomam conta dos mais novos, dos filhos, dos netos, dos bisnetos. 
Por vezes não lhes damos o devido valor, por vezes estamos tão ocupados, em viver a nossa vida, egoísta, que nos esquecemos que para quebrar a solidão, basta uma palavra, um acenar, ou um sorriso. E a solidão não tem que ser apenas uma ausência física, aliás na maioria das vezes, o que ela realmente significa, é uma total ausência de afectos, porque afinal "velhos" somos todos nós um dia, se lá chegarmos.

Foto: Catirolas o irmão da Catirolas, a Bisavó Luísa e o Bisavô Gargaludo