sábado, 23 de julho de 2016

Frivolidades de Verão

Frivolidades de Verão


Verão é tempo de férias, um tempo que levamos o ano inteiro a apelidar de "tempo de qualidade". 
Tempo para ler aqueles livros esquecidos nas prateleiras, de visitar os amigos e os familiares (também esquecidos na prateleira, dessa vida em que o agora, é um sempre tarde demais, quando esse conceito na realidade apenas existe na nossa consciência que se auto designa de ocupadíssima. Que vergonha!!!) 
É tempo de, como se diz em português extremamente correcto e nada obtuso, de passar alguns dias de "papo para o ar", de preferência no fim do mundo, não literalmente, mas nesse mundo em que o principio e o fim cheira a maresia e as tardes a escaldantes # escaldões encontros. Mas se na maioria é isso que queremos, é também isso que  não fazemos. Vamos de férias mas continuamos conectados, ligados a fios invisíveis de cusquices banais, agarrados a esse mundo que passamos a vida a resmungar que queremos esquecer, mesmo ali, agora, no tal mundo que não tem fim que chegue para tanta gente, entre uma onda ou duas de mar, nesse local onde a probabilidade de encontrarmos alguém conhecido de tanga ... numa visão bastante aterradora. Alguém que acabou de tirar uma foto e de colocar no facebook, ao mesmo tempo que corre para o mar para tentar apanhar um pokémon e ele foge como um peixinho assustado. Mas porque será tão difícil quebrar a rede?