segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Ajudar quem ajuda

Este fim-de-semana estive de serviço ao Banco Alimentar contra a fome. É curioso ver que em tempos de maior necessidade existem cada vez mais pessoas a dar, e quem menos pode por vezes é quem mais o faz.
As pessoas conhecem o Banco e acreditam na sua eficácia, o que torna importante a seriedade e honestidade na distribuição de alimentos, de forma a que estes cheguem a quem realmente precisa, porque infelizmente, tal como em todos os campos da nossa sociedade a "corrupção" acaba por descredibilizar instituições que realmente têm um papel importante junto dos mais desfavorecidos e que procuram realmente fazer aquilo que lhes compete, ajudar.

5 comentários:

Gasper disse...

Também participei. :)

Mim disse...

É verdade, por vezes actos menos dignos de pessoas que não precisam e que se aproveitam das organizações, acabam por afastar quem dá de boa vontade.
Por acaso este ano não fui às compras, mas costumo ajudar no que posso.
Afinal uns quilos de arroz e massa, umas latas de leguminosas, são pouco mais do que muitas vezes esbanjamos em desperdícios perfeitamente evitáveis e a pobreza está a tornar-se cada vez mais inevitável.
Beijinhos

manjedoura disse...

Cada vez mais mais essas instituições serão fundamentais para a sociedade, já que o governo só olha para outros bancos.
parabéns

Silenciosamente ouvindo... disse...

Eu ajudo sempre, embora saiba de situações com
as quais não concordo.Ao lado do emprego do meu
marido havia um lar, num primeiro-andar, logo
isso achava mal, porque não havia elevador e as
pessoas de idade com dificuldade em descer e
subir escadas, faziam-no com muito sacrifício
para ir à missa(aqueles que sendo católicos o
queriam fazer), mas pagavam perto de 200 contos
por mês para estar nesse lar(às vezes conversavam com meu marido) e o estranho é que
os donos desse lar, recebiam produtos do Banco
Alimentar. Se cobram mensalidades tão altas
parece não se justificar muito...
São pequenos apartes.
Um beijinho

Catarina Reis disse...

Gasper ajudar sabe sempre bem.

Uns kilos de qualquer coisa faz sempre a diferença MIM.

Manje está muito dificil para algumas pessoas e demasiado fácil para outras.

Pois "Silenciosamente Ouvindo", não faz sentido essa situação, existem muitos lares que são apenas uma "barraca" onde largam idosos. E é desse tipo de situações que eu me refiro no texto.

Obrigada a todos, beijos

Publicação em destaque

Outono

Incrível!! Ainda ontem o cair da noite banhava lentamente (a passo de caracol) os nenúfares que boiavam no charco verde de águas cálidas, ...