quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

O capital humano

Não. Não me chateia este novo "acordo histórico" que o governo tanto apregoa.
No mundo real, muitos são os trabalhadores que já trabalham aos feriados, que tiram férias se quiserem fazer pontes, muitos são os que preferiam prescindir de subsídios, de indemnizações, em troca de menos idas ao centro de emprego, para uma humilhação quinzenal, ao tribunal do trabalho correr por uns trocos, ou a entrevistas parvas, sem nexo e completamente descontextualizadas, onde o que importa é apenas aquele que com melhores e maiores habilitações, aceitar o salário mais baixo.
O que me aborrece profundamente é saber que muito se fala, que tanto se discute, e que na conclusão, todos se esquecem que os trabalhadores precisam das empresas tanto quanto estas precisam deles. Chateia-me saber aos olhos de quem decide, que o capital humano é cada vez menos, um bem essencial... e conheço tanta gente com tanto potencial.

3 comentários:

Tulipa disse...

Gostei muito do novo formato do blog e adorei a foto! :)

Tens razão Catarina, aborrece muito ver que todas as decisões tomadas têm tudo menos em consideração o potencial das pessoas, mas sim interesses de um conjunto de pessoas. Beijinho grande

L.O.L. disse...

Catarina. Um dia a mão de obra humana não fará qualquer sentido. Escreve o que te digo. Nem quero imaginar o futuro a longo prazo. Máquinas substituindo o ser humano EM TUDO.
Beijinhos.

Catarina Reis disse...

Obrigada Tulipa, mudar, para ficar tudo na mesma.
O que importa são mesmo as pessoas, porque todos se esquecem disso.

Pois L.O.L tudo parece caminhar nesse sentido... para o mundo das máquinas.

Um beijinho

Publicação em destaque

Outono

Incrível!! Ainda ontem o cair da noite banhava lentamente (a passo de caracol) os nenúfares que boiavam no charco verde de águas cálidas, ...