quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Crescer nas creches

Uma das realidades que vivemos nos tempos que correm, é ter dinheiro para alimentar a família, mas não ter tempo para degustar o prazer de ser pai. 
Ter tempo nem sempre significa ter disponibilidade física, significa estar disposto a abdicar de muita coisa para se dar amor, carinho e atenção. Não deixar que os filhos de hoje sejam filhos da creche. 
A realidade é que e sobretudo nos centros urbanos, mais de um terço das crianças portuguesas passa mais de 9 horas por dia na creche, sendo que a esmagadora maioria ocupa parte do tempo a ver televisão ou a jogar computador. É esse o preço que se tem que pagar para ter aquele carro, aquela casa, aquele estilo de vida? É essa a educação e os valores que transmitimos, a geração das tecnologias, dos relacionamentos online? Onde o ser e estar distantes é uma realidade demasiado real e dolorosa para se "cultivar".


2 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Isto é um grito real e verdadeiro. Cada vez os pais e as mães são desagregados da família. Ter filhos hoje é um risco pois têm de fazer a opção ou os filhos ou o emprego. As politicas actuais estão a castigar toda a classe trabalhadora e activa do país. Ou ficam sem emprego ou perdem os filhos e a família. As migrações, os horários, a posição social vão fazendo o resto. Sobra a ajuda dos avós que já não podem ser pais...

Catarina Reis disse...

Realmente Luís, mas como inverter a tendência e achar o equilíbrio? Sem dúvida um grande desafio nos tempos que correm

Publicação em destaque

Outono

Incrível!! Ainda ontem o cair da noite banhava lentamente (a passo de caracol) os nenúfares que boiavam no charco verde de águas cálidas, ...