quinta-feira, 29 de abril de 2010

Pastéis de Nata

Silêncio que os pássaros vão começar a encher o bico.
São indiscutíveis os sentimentos que nutrimos, quando o comboio da gula descarrila à nossa beira, não fosse dia de greve e tudo isso era impossível, mas como diz a publicidade (impossible is nothing).
Não entendo, juro que não entendo, a prontidão com que me queimas a língua tatuada de paladares pornográficos, com pretensões que cheiram a canela e que sabem a gostos de outro mundo, não entendo mas gosto muito.
Por isso, mais uma vez, sentei-me nos azulejos dessa casa azul, mais conhecida que o Mosteiro dos Jerónimos, e rendi-me ao perfume, ao calor, à textura, à doçura e à cremosidade únicas da tua pele.
Mordi-te vorazmente com os meus lábios, a minha língua; com todos os sentidos do meu corpo que são incapazes de te tocar, mas que ainda assim me entendem perfeitamente, não tivesse o teu sabor guardado no meu paladar; mordi-te  e entreguei-me à "Ménage à Trois"...
Entreguei-me completamente e sem remorso, culpa ou preconceito… deixei-me enrolar à primeira, conquistar à segunda, e engordar à terceira.




 
 
 
 
 
 
Imagem: Internet

2 comentários:

Tulipa disse...

;) Por acaso já tenho saudades de ir aos pasteis de belém!Adoro! kiss

Catarina Reis disse...

Também eu, aqui na Nazaré city, não há dessas coisas. Bjs Catarina

Publicação em destaque

Outono

Incrível!! Ainda ontem o cair da noite banhava lentamente (a passo de caracol) os nenúfares que boiavam no charco verde de águas cálidas, ...