terça-feira, 22 de junho de 2010

Balanço

Escrevinhei um caderno inteiro cheio de objectivos, de ambições, de desejos e de metas, sem fitas ou bandeirinhas no final, apenas com a felicidade na ponta dos dedos.
Demarquei com giz todos os traços da minha personalidade, algures perdida entre o mar e a terra.
Ponderei todas as possibilidades, contrariei todas as impossibilidades e nem sequer coloquei a hipótese de uma não realização.
Lutei ferozmente por aquilo que hoje sou, ainda que isso nada queira dizer.
Autorizei a publicação da minha intuição nas Assembleias da vida.
Deixei-me de reticências, de vírgulas e rendi-me à força do ponto final.
Agora…e apesar das atrocidades presentes, é tempo de reflectir. É hora de olhar em frente com a certeza de que por mais que quisesse, por mais que desejasse, nunca seria feliz se voltasse para trás.
Esta toca é o meu lugar e só existe um caminho possível...










Imagem: Gatinhos dos Açores, Catarina Reis

3 comentários:

Tulipa disse...

Este caminho que todos nós percorremos tem um sentido só, por isso não vale a pena olhar para trás. kiss

siceramente disse...

estragaste tudo com os gatos.. que animais coiso :S

Catarina Reis disse...

É verdade Tulipa apenas um sentido só.

Siceramente, SINCERAMENTE, não acredito que não gostes de gatos, são animais maravilhosos.
Bjs Catarina

Publicação em destaque

Outono

Incrível!! Ainda ontem o cair da noite banhava lentamente (a passo de caracol) os nenúfares que boiavam no charco verde de águas cálidas, ...