segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Partilhas

Por vezes cresce dentro de nós um sentimento de horror natural.
Não é pela fome, pelo frio, pela sede, ou pelas palavras entoadas de cima para baixo directamente ao coração e que magoam tanto por já cá não estares.
Não.
É apenas pela verdade e pela honestidade, pela certeza de quem se foi e já não volta, de quem não queria esta batalha por um pedaço de terra. A mesma terra que um dia lhes irá servir como morada, onde os bichos mais feios e mais tenebrosos lhes hão-de comer a carne que agora emana, suor, ódio, avareza e inveja, corpos perdidos por uma lasca de dinheiro.
Será assim tão fácil esquecer? O amor partilhado, os abraços de carinho, a paixão e compaixão pela vida? Assim parece.
Um dia… tudo isto será apenas mais um canto perdido algures num mundo demasiado grande, mas ao mesmo tempo pequeno para o desperdício de energia de uma vida única.
Um dia.. essa descoberta poderá ser talvez, um pouco como o resto das suas vida. Sem hora marcada mas tarde demais.

2 comentários:

Tulipa disse...

Deveríamos fazer esta reflexão todos os dias...beijinho

Catarina Reis disse...

Pois é Tulipa, todos os dias.
Beijos

Publicação em destaque

Outono

Incrível!! Ainda ontem o cair da noite banhava lentamente (a passo de caracol) os nenúfares que boiavam no charco verde de águas cálidas, ...