quarta-feira, 25 de abril de 2012

Aprisionados

Sou da geração que nasceu no após 25 de Abril, que nasceu "livre". Livre da opressão de um regime onde era proibido falar, contestar e até respirar uma ideologia diferente da que existia no poder. Não faço a ideia do que é viver dessa maneira, mas compreendo que a liberdade de hoje, aquela que vivemos todos os dias, não é mais do que uma falsa liberdade, onde cada escolha é condicionada por uma série de regras e de princípios, de uma forma mais ou menos consciente, "oferecidas" pela sociedade, pelo poder político e pelo poder económico, … onde cada vez mais, somos menos livres.







2 comentários:

Luciano disse...

O facto de haver regras para tudo e mais alguma coisa condiciona, só por si, a liberdade. Todos nós vivemos uma determinada rotina. E não podemos fugir a isso sob pena de pormos em risco a nossa estabilidade. Daqui posso concluir que estabilidade e liberdade são palavras que não casam lá muito bem. Gostei do post.
Beijinhos.

Catarina Reis disse...

Obrigado Luciano. Um beijinho

Publicação em destaque

Outono

Incrível!! Ainda ontem o cair da noite banhava lentamente (a passo de caracol) os nenúfares que boiavam no charco verde de águas cálidas, ...