terça-feira, 18 de setembro de 2012

A queda!

Por vezes, quando estamos moralmente motivados, ainda que as pernas se ressintam e o corpo acuse o nervoso miudinho, próprio de qualquer competição, por mais amadora que seja.
Quando e apesar das limitações próprias de cada um, dos medos e dos obstáculos, conseguimos fazer as subidas mais complicadas, com elegância e destreza, ultrapassamos os mais directos adversários sem possibilidade de alcance, arrasamos por entre túneis com água, rolamos por trilhos de areia, serpenteamos com orgulho, por entre eucaliptos fora do lugar e finalmente, até conseguimos fazer as descidas mais alucinantes e perigosas, sem cair...
Vem a mãe natureza, os travões da nossa bike, a nossa azelhice momentânea e aquela pedra castigadora,  lembrar-nos da pior maneira, que as rectas também podem ser perigosas... 



3 comentários:

José Carlos disse...

pois as quedas são tramadas

Filomena Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tulipa disse...

Depois da queda vem a recuperação! que seja breve! beijinhos

Publicação em destaque

Outono

Incrível!! Ainda ontem o cair da noite banhava lentamente (a passo de caracol) os nenúfares que boiavam no charco verde de águas cálidas, ...