quinta-feira, 16 de junho de 2011

Por entre palavras

Num processo de tira teimas, depois de uma dura luta entre o pólen da Primavera  e esse tempo de quase Verão, depois de duas horas perdidas a falar para um quadro com um boneco desenhado a giz, chegou-se finalmente à conclusão, que não vale a pena contrariar quem não consegue respeitar e aceitar a opinião dos outros, mesmo que não concorde com ela. 
O mundo é feito de nadas complicados,  onde o  simples facto de se perceber que não se sabe, ou que se desconhece alguma coisa,  é o primeiro passo para lutar contra a ignorância e o princípio de qualquer ser inteligente.

8 comentários:

CA disse...

Nestas situações diz-se assim:
Tá bem, leva lá a bicicleta, mas deixa ficar a campainha, porque gosto de ouvir música. lolol

Catarina Reis disse...

sem papas na boca..eh!eh! beijos

CA disse...

EU NÃO SOU DE ÉÉÉÉVOOORAAAA! Aquilo no perfil foi uma brincadeira... uma parvoíce, vá. lololol

Sofia disse...

Olá Catarina! O que mais há por aí é pessoas que se escudam atrás de um pseudo-discurso cheio de palavras caras para, no final, constatarmos que nada disseram. Porque, pura e simplesmente, não dominam o que proferiram!
Beijinhos,
Sofia

manjedoura disse...

o Socrates ( o filosofo) já dizia: " só sei que nada sei". Já o nosso Socrates parece que não sabia mesmo nada LOL

coelho doido disse...

ja a minha avó dizia: se um dia queres ser alguem uma passo de burro terás de dar

LM disse...

Quando li "polen" e "giz" pensei que ias falar das alergias., já que eu estou que nem posso. Mas também quero distancia de gente assim.;)

Catarina Reis disse...

CM, pronto já sei que não és de Évora, fica registado.

Sofia, concordo com o que dizes muitos não fazem nem dominam o que por aí dizem.

Coelho, um passo de burro por vezes é mesmo um passo inteligente.

LM, Pois alergias nesta altura com este tempo, é muito mau, as melhoras.

Beijos a todos

Publicação em destaque

Outono

Incrível!! Ainda ontem o cair da noite banhava lentamente (a passo de caracol) os nenúfares que boiavam no charco verde de águas cálidas, ...