quarta-feira, 14 de novembro de 2012

O outro lado.

Somos aquilo que somos, um povo afável, hospitaleiro, com um dos melhores climas da Europa e uma posição geográfica invejável, com gente capaz de trabalhar sobre pressão, inventiva, pacifica e inteligente. Gente bonita inovadora.
Apesar de tudo o que se diz, (incluindo por vezes a Catirolas, no seu humor perverso)  a situação em  que actualmente, nos encontramos  é de nossa  inteira responsabilidade. Não é da Europa, da Troika, ou da descendente de Hitler que  visitou Portugal sobre forte medidas de segurança, ou não fosse Portugal um dos mais seguros países dos mundo ... 
O que está a acontecer,  é a consequência de um conjunto de má decisões pessoais e/ou colectivas, que fomos fazendo ao longo da vida e agora que estamos em dificuldades, falamos, protestamos, resmungamos, fazemos greves, muito questionáveis e pouco organizadas, que não têm a força que deveriam ter, porque estas greves convocadas pelas forças sindicais, que ainda assim não se conseguem unir, continuam a ser sinónimo de balda, e continuam a ter uma conotação altamente negativa e pouco eficiente na sociedade. Apenas servem para culpar alguém pelo que nos está a acontecer, porque a responsabilidade, quanto mais exterior for ao nosso pequeno mundo "egocêntrico" melhor. Sendo o alvo preferencial, os outros.
Tomar decisões e dar a cara por elas, ainda que estas sejam, injustas, péssimas e altamente questionáveis, sempre foi e será uma tarefa difícil e complicada. Facilmente apontamos o dedo e condenamos quem o faz, da mesma forma que não hesitamos em pedir ajuda, quando se dá uma catástrofe e nos esquecemos rapidamente, (e mais importante ainda)queremos muito que se esqueçam de nós, quando estamos economicamente numa posição favorável. Claro que por estes dias, gostaria muito que esta última situação fossemos todos nós. 

1 comentário:

L.O.L. disse...

É mesmo isso Catarina. Tudo isto que nos está a acontecer é uma consequência das nossas más decisões.
Beijocas.

Publicação em destaque

Outono

Incrível!! Ainda ontem o cair da noite banhava lentamente (a passo de caracol) os nenúfares que boiavam no charco verde de águas cálidas, ...